Novo Peugeot 308 segue uma linhagem carregada de história

By on 26 Fevereiro, 2022

Com a chegada do novo Peugeot 308 ao mercado, é o momento de recordar alguns dos momentos que marcaram a história da série 300 da marca francesa.

O novo Peugeot 308 apresenta um visual moderno e bastante futurista, que até estreia um novo logotipo da marca e diversas novas ideias, que deram origem ao início de uma nova era para a Peugeot. Mas a história das siglas de três algarismos que começam com o número 3 já contam com quase nove décadas de momentos e diversas gerações, sendo uma das mais ricas da marca do leão.

A história dos Peugeot “300” começou em 1932 com a apresentação do Peugeot 301. Com um tamanho compacto e com o objetivo de responder aos consumidores, foi criado um modelo capaz de sobreviver em plena crise económica. Tinha um motor de 1.465cc, com 35 cavalos de potência e estava disponível em cinco formatos de carroçaria. Entre 1932 e 1936 foram produzidas mais de 70 mil unidades.

O Peugeot 302 viu produzidas 25.100 unidades entre 1936 e 1938, sendo um dos primeiros a receber diversas melhorias aerodinâmicas como os faróis integrados e um novo desenho para a secção dianteira que lhe permitia atingir os 100 km/h.

A grande guerra fez com que a produção desta série tivesse sido interrompida, uma das razões por que nunca conhecemos o 303. E mesmo o 304, só foi apresentado 30 anos depois, no Salão Automóvel de Paris. Estava destinado ao segmento médio e contava com cinco formatos de carroçaria, a mecânica do 204 e um visual inspirado no 504. Ao longo de dez anos foram produzidas cerca de 1,2 milhões de unidades deste modelo.

Image Exclusive * Europe, France, Île-de-France, Paris. Couple regardant la ville près d’une 304 garée sur un quai en 1970. Affiche signée Photo Rank. Utilisation éditoriale uniquement, nous contacter pour toute autre utilisation

Em 1977, no entanto, e já como sucessor do 304, o novo Peugeot 305 apresentava novidades importantes. Foi o primeiro modelo a incluir tração dianteira e suspensão independente nas quatro rodas, mas também um novo motor a gasolina de 1,3 litros de posição transversal. O comportamento dinâmico melhorado, o espaço a bordo e o conforto, fizeram com que os seus dois formatos de carroçaria tivessem somado mais de 1,6 milhões de unidades.

O Peugeot 309 chegou em 1985, marcando uma nova era para a marca, com um formato mais aproximado ao que conhecemos ainda hoje. Tinha versões de três e cinco portas, com pouco mais de quatro metros de comprimento e contava com duas versões GTI: uma com o motor 1.9 de 130 cavalos do 205 GTI e outra com o motor MI16 de 160 cavalos do Peugeot 405, com prestações excelentes para a época.

No início de 1993 era apresentado o novo Peugeot 306, sendo um dos primeiros modelos globais da marca. Chegou a ser produzido em nove fábricas no mundo inteiro. Além das versões de três e cinco portas, mas também da carroçaria de três volumes, o 306 também contava com um elegante descapotável desenhado por Pininfarina. As versões XSi e S16 mantinham a imagem mais desportiva, mas neste ponto, o 306 que mais se destacou foi mesmo o Maxi, de ralis, com 285 cavalos de potência e diversas vitórias registadas.

O Peugeot 307 foi lançado em 2001 e eleito Carro do Ano logo em 2002. Estreava uma nova arquitetura mais elevada, com inspiração nos monovolumes onde não faltava um enorme para-brisas dianteiro e até uma versão SW da carrinha com um tejadilho panorâmico em vidro e sete lugares. O 307 CC (Coupé/Cabriolet) chegou em 2003 com o seu tejadilho retrátil. Os formatos de carroçaria, os avanços tecnológicos, o arrojo de ideias e a enorme presença na competição, fez com que o 307 tivesse sido um enorme sucesso, com mais de 3,5 milhões de unidades produzidas.

O primeiro dos Peugeot 308 chegou em 2007, com versões de três e cinco portas, mas também com a carrinha SW e, mais tarde, com uma versão Coupé-Cabriolet e até um original Coupé, o RCZ, que parecia um protótipo de salão com autorização para ser usado na via pública. A primeira renovação do 308 foi apresentada em 2013, conquistando pela segunda vez a distinção de Carro do Ano para este modelo. Foi a primeira a incluir o estranho i-Cockpit que a marca viria a adotar em todos os seus modelos e no total, completou a contagem em mais de sete milhões de unidades vendidas nas primeiras duas gerações.

A terceira versão do Peugeot 308 é a que acaba de entrar no mercado. É produzida na fábrica de Mulhouse, estreia o novo logo e é também a que vai estrear novas soluções híbridas numa nova era eletrificada.

A série 300 da Peugeot apenas não conheceu nenhum 303 e o único modelo que saiu da contagem mais regular foi o 309, apresentado em 1985, entre o 305 e o 306. O Peugeot 309 foi também um dos dois modelos que não foi produzido na fábrica de Sochaux, uma vez que a sua produção foi transferida para Poissy. O outro é o novo Peugeot 308 que está a ser produzido na fábrica de Mulhouse. Desde o ano 2000, a série 300 da Peugeot já conquistou dois títulos de Carro do Ano, além do seu incrível histórico no mundo da competição, mas a história do novo modelo está apenas a começar, pelo que o seu currículo poderá começar a ser enriquecido muito em breve.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)