O mês de fevereiro é o mês de recordar a história de André-Gustave Citroën

By on 20 Fevereiro, 2022

André-Gustave Citroën nasceu no dia 5 de fevereiro de 1878. Ficou conhecido pelo seu espírito visionário, pelo seu carisma e modernidade, mas também por ter sido o fundador de uma das marcas mais conhecidas do mundo automóvel.

Nascido numa família cosmopolita e com uma boa orientação para os negócios, André Citroën era o mais novo de cinco filhos. O seu pai era um comerciante de pedras preciosas, mas André nunca ligou ao negócio da sua família, ao contrário de alguns dos seus irmãos. Ainda muito novo, a sua paixão estava mais do lado da tecnologia e da mecânica, tendo optado por estudar na Escola Politécnica de Paris, onde se licenciou em engenharia.

Apesar de nunca ter ligado ao negócio das pedras preciosas, acabou por visitar algumas fábricas especializadas em mecânica de precisão, onde descobriu algo que ia influenciar bastante o seu futuro: um novo tipo de engrenagens com dentes diagonais, que tinha o propósito de multiplicar ou reduzir significativamente a força e o movimento de maquinaria imponente. André Citroën comprou a patente e decidiu desenvolvê-la mundialmente.

Mais tarde, já no início do século, a sua siderurgia produzia materiais de construção e outros destinados a estaleiros navais, incluindo as engrenagens de que tinha a patente, com o formato em V e que deram origem ao logo do double chevron da Citroën que ainda hoje é utilizado e tão bem conhecemos.

A entrada no mundo automóvel foi feita através da empresa Mors, na qual assumiu a direção em 1908 e depois de resolver alguns problemas financeiros começou a explorar os novos conceitos de linha de montagem e produção industrial, fazendo com que a Mors tivesse passado de 12 para 646 unidades produzidas em cada mês.

Depois da Primeira Guerra Mundial, que ditou o encerramento da Mors, André Citroën inaugurou a sua própria empresa no Cais de Javel, em Paris, no ano 1919. O primeiro automóvel a ser produzido foi o Citroën Type A 10 HP, de características mais robustas e bastante económico, que foi também o primeiro automóvel europeu a ser construído em série o primeiro modelo francês com volante do lado esquerdo.

Além disso, o Citroën Type A 10 HP foi também o primeiro a incluir cores mais vivas como o azul e o amarelo, que contrastavam bastante com o restante parque automóvel composto por automóveis de cor escura. O Type A custava menos de oito mil francos e incluía um motor de 1,3 litros com quatro cilindros, que levava este modelo até aos 65 km/h, mas também capota, roda sobresselente, faróis e equipamento elétrico.

Em 1919 foram produzidas 2.810 unidades do Type A, mas em 1925, a produção anual já estava acima das 60 mil unidades anuais. André Citroën viria a falecer em 1935, com apenas 57 anos, mas o legado que deixou foi enorme e ainda hoje são recordados o seu espírito visionário e a sua paixão pela engenharia.

André Citroën (1878-1935)

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)