PIRELLI LANÇA UM NOVO PNEU PARA COLECIONADORES DE MODELOS CLÁSSICOS DA MINI

By on 27 Setembro, 2021

O renascido Cinturato CN54 regressa à gama com um visual vintage e acompanhado da tecnologia mais recente para o ícone britânico.

Está disponível um novo pneu Pirelli Collezione para os proprietários do lendário Mini. A Pirelli Collezione é uma família de pneus projetados para os carros mais icónicos do mundo, construídos entre 1950 e 1980, que recupera a aparência característica, ao mesmo tempo que melhora o desempenho e a segurança recorrendo às tecnologias mais recentes.  

Um pneu clássico com tecnologia do futuro

Para todas as diferentes versões do Mini clássico (incluindo os carros fabricados sob a licença da Innocenti), a Pirelli recriou o Cinturato CN54 no tamanho 145/70 R12, originalmente lançado em 1972. Este é um pneu radial, com um desenho de banda de rodagem e uma parede lateral semelhante ao pneu original, mas dotado da tecnologia mais moderna. Deste modo, o pneu conta com os compostos mais recentes para oferecer uma melhor aderência (em piso seco e molhado), garantindo uma maior fiabilidade e altos padrões de segurança, sem comprometer o estilo original. Durante o desenvolvimento deste pneu, os engenheiros da Pirelli trabalharam com os mesmos parâmetros que os utilizados pelos designers do veículo original para alcançar um equílibrio perfeito entre as configurações de suspensão e o chassi do Mini. Para isso, procedeu-se a uma indagação sobre os materiais e os desenhos originais do pneu que originalmente equipavam o Mini, armazenados nos arquivos da Fundação Pirelli, em Milão. 

Pirelli e Mini: Uma longa história em Itália

A Pirelli iniciou o processo de desenvolvimento de um pneu Cinturato para o Mini, com uma banda de rodagem denominada de 367F, em 1964. Um mais tarde, o sucesso do Mini chegou à Itália e a Innocenti obteve licença para produzir os carros na sua fábrica de Lambrate, perto de Milão (a produção decorreu até 1975). Em 1976, a Pirelli desenvolveu pneus para o Mini 90, no tamanho 145/70 SR12, e para o Mini 120, no tamanho 155/70 SR12. Para as versões desportivas do carro, como o Innocenti Turbo De Tomaso, a Pirelli desenvolveu uma série especial de “‘wide series”: pneus radiais com uma banda de rodagem mais larga e com paredes laterais mais baixas, em comparação com os pneus tradicionais. Na década de 1980, a Pirelli fez o P3 para carros urbanos – que equipou toda a família Mini, incluindo as edições especiais Red Flame, Check Mate, Studio 2 e Piccadilly. O Mini renasceu em 2000, sob a alçada da BMW, e a Pirelli homologou o pneu [email protected] Run Flat para o novo carro: um produto que era sinónimo de fiabilidade, pois era capaz de continuar a marcha durante 150 quilómetros, a uma velocidade máxima de 80 km/h, mesmo quando se encontrava totalmente vazio, graças a uma construção especial capaz de suportar todo o peso do carro. 

PIRELLI CINTURATO: Tecnologia e segurança

“O novo pneu fabuloso com seu próprio cinto de segurança no interior”. Foi assim que a Pirelli descreveu o Cinturato aquando do seu lançamento.Um pneu que introduziu a estrutura radial e passou a equipar os carros mais importantes do mundo, durante mais de 70 anos. Com a introdução do Cinturato CA67, CN72 e CN36, a Pirelli inventou o conceito de pneu desportivo para estrada, uma inovação necessária, uma vez que era necessário fornecer o máximo de aderência possível aos supercarros que marcaram a época, tais como o Ferrari 250 GT e 400 Superamerica, Lamborghini 400GT e Miura, Maserati 4000 e 5000. Em meados dos anos 1970, chegava aquela que seria a próxima grande revolução, com o Cinturato P7 e a sua cinta de nylon de zero graus e um perfil superbaixo. Os primeiros carros a utilizar estes pneus foram o Porsche 911 Carrera Turbo, o Lamborghini Countach e o De Tomaso Pantera. Seguiram-se os P6 e o P5: os antecessores do P600 e P700, na década de 1980, que ofereciam uma maior segurança e aderência nas curvas e em piso molhado. Na década de 1990, o P6000 e o P7000 chegaram ao mercado, melhorando ainda mais a segurança e o desempenho. Em 2009, regressou o Cinturato P7, que se destacava pelas melhorias a nível da manobrabilidade, travagem, pela utilização de materiais ecológicos e pela sua capacidade de reduzir o consumo de combustível e as emissões. 

PIRELLI Collezione

A família Pirelli Collezione nasceu com o objetivo de preservar a história automotiva através de pneus capazes de manter a aparência e a sensação de condução original, mas com as devidas melhorias em termos de eficiência e segurança, garantidas pelas tecnologias de produção mais modernas. A gama está repleta dos nomes mais lendários, Stella Bianca (lançado pela primeira vez em 1927), Stelvio,  Cinturato P7 (1974), P5 (1977), P Zero (1984) e P700-Z (1988). As imagens, os planos e outros materiais fornecidos pelo abrangente arquivo da Pirelli Foundation desempenharam um papel fundamental na reprodução desses pneus. A Fundação manteve todos os documentos relativos ao design, desenvolvimento e produção de todos os pneus Pirelli ao longo dos anos. Os pneus Pirelli Collezione estão disponíveis nos revendedores especializados de pneus para automóveis clássicos, como a Longstone Tires, e também nas lojas Pirelli P Zero World, em Los Angeles, Munique, Mónaco, Dubai e Melbourne. 

MINI: Um ícone do estilo e do design desde 1959

O Mini Minor 850 foi o primeiro modelo projetado do zero pela British Motor Corporation, sendo inicialmente vendido por duas marcas diferentes: Austin e Morris. Possuía dois nomes diferentes: Austin Seven e Morris Mini-Minor. O carro foi projetado por Alec Issigonis, como um meio de transporte diário, mas sua aplicação para o automobilismo foi descoberta desde logo. Em 1961 apareceu o primeiro Mini Cooper, que, dois anos depois, triunfou no Rali de Monte-Carlo. Esta foi a era em que o fenómeno do “minicarro” também chegou verdadeiramente a Itália, com espaços para as manobras reduzidos e escassos lugares para estacionamento. A produção do Mini na Itália começou com o Mini Minor 850, antes de passar para o Cooper 1000 e, eventualmente, para o Mk2, Mk3, Mini 1000 e Mini 1001. As versões italianas do Cooper tiveram grande sucesso, pois ofereciam melhores níveis de acabamento do que as versões britânicas, a um preço inferior. Com a aproximação da década de 1970, a British Leyland (a sucessora da BMC) tomou duas decisões. Em primeiro lugar, iriam transformar a Mini numa marca autónoma e distinta e, em segundo lugar, seria introduzida uma nova versão de luxo do Mini Clubman. Em 1984, houve várias modificações mecânicas, como a introdução dos travões de disco frontais, para manter o carro atualizado. Em 1997, o nome Mini foi adquirido pela BMW. Em 2019, a Mini comemorou o 60º aniversário da marca, com o lançamento da edição exclusiva Mini 60 Years. 

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)