PSA continua a reestruturar a Opel

By on 7 Setembro, 2018

Após o anúncio do regresso aos lucros por parte da Opel, que foi uma espécie de grito de triunfo para a estratégia PACE! implementada por Carlos Tavares, CEO do PSA Group, surgem novos dados sobre a reestruturação que está a ser feita na Opel.

Se os lucros voltaram ao discurso dos homens da Opel, a verdade é que ainda não está terminado o verdadeiro furacão de mudanças que foram implementadas na casa alemã.

Os inevitáveis cortes vão acontecer e o regresso de férias deverá trazer um desacelerar da produção nas unidades fabris de Russelsheim e de Eisenach. Segundo o jornal “Mainzer General Newspaper” de Russelsheim, o número de produção diário naquela fábrica vai descer de 52 para 42 veículos/hora e de 37 para 30 em Eisenach. Os sindicatos têm feito sentir a sua preocupação, pois como todos sabem, as fábricas têm de funcionar num certo volume para serem rentáveis.

No dia 1 de agosto, entraram para a direção da Opel/Vauxhall, Frederic Brunet e Xavier Duchemin, o primeiro como CFO (diretor financeiro), sucedendo a Philippe de Rovira (que passou a ser do comité executivo da administração e diretor financeiro do PSA Group), o segundo passa a ser o responsável das vendas, após venda e marketing. Tomou o lugar de Peter Kuspert, que decidiu abandonar a Opel depois de cinco anos nessa função. Tanto Brunet como Duchemin reportam, diretamente a Michael Lohscheller, o CEO da Opel e Vauhxall.

O jornal “Le Monde” refere que o PSA Group “deseja amputar larga parte do seu centro de pesquisa e desenvolvimento.” E a verdade é que Carlos Tavares já tem na sua secretária uma avaliação do centro de desenvolvimento de Russelsheim, dividindo-o em quatro áreas nevrálgicas: condução, engenharia, ferramentas de produção e tecnologia de pintura. Todas juntas, tem o valor de 500 milhões de euros.

Por via disso, empresas como a Altran, a Akka e a Segula, além da alemã Bertrand, foram contactadas no sentido de avaliar o seu interesse em adquirir as quatro divisões acima referidas. E o prazo para isso é até ao final deste ano. Para seduzir os potenciais compradores, o PSA Group assegura que manterá uma pequena ligação ao centro de desenvolvimento, entregando algum trabalho durante os próximos anos. Socialmente, não sendo expectável que existam grandes alterações, mas a verdade é que 3980 postos de trabalho estão em questão.

E a verdade é que a Segula e a Opel confirmaram ontem que estão em negociações para que a empresa francesa de engenharia fique com os departamentos de pesquisa e desenvolvimento das áreas de condução e engenharia automóvel, comprometendo-se a Opel a manter atividade com o centro no sentido de compensar eventuais perdas de clientes e assim salvar os dois mil postos de trabalho destas duas áreas no “Russelsheim Development Center”. Este acordo estará em vigor até julho de 2023.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)