Carnaval em Segurança 2024: 104 detenções por crimes rodoviários
Quem o avisa… amigo é: Onde vão (também) estar os radares da PSP em fevereiro

Radares térmicos: o que são e para que serve este novo sistema de controlo

By on 20 Fevereiro, 2023

Em países como Espanha, França e no Reino Unido já está a ser testado um novo sistema de radares térmicos, que permitirá obter um novo conjunto de dados em cada automóvel e em tempo real.

Os radares térmicos já existem há décadas, sendo usados para diversas situações e de certeza que todos já passámos pelas imagens de uma qualquer série policial em que é detetada a presença de pessoas num armazém abandonado ou no porta-bagagens de um carro. E por aqui, já é capaz de ir tendo uma ideia de que como este sistema pode ser adaptado a vias de tráfego mais intenso.

Em diversos países, sendo Espanha e França os mais falados (mas ainda numa fase de testes) e o Reino Unido, que já tem sistemas deste género em utilização, estão a ser desenvolvidas novas utilizações para este tipo de radares, que podem fornecer informações, por exemplo, como o número de pessoas que viajam num automóvel, o seu posicionamento dentro de um veículo e também outras informações relacionadas com a temperatura que possam ser relevantes.

Mais precisos do que um controlo visual através de câmaras, por exemplo, a precisão deste sistema consegue detetar pessoas, incluindo crianças, mas também se um bebé está corretamente sentado numa cadeira e para que sentido está virado, animais de estimação que possam viajar a bordo e em que lugar do habitáculo se encontram e tantas outras situações, que estão mais relacionadas com a segurança.

Entre as soluções já utilizadas, está também a questão já falada há uns anos, sobre o número de ocupantes poder influenciar o preço de uma portagem, por exemplo, ou facilitar o acesso a vias de “Car Pooling”, um modelo de mobilidade partilhada que favorece quem partilha o mesmo automóvel para se deslocar para o mesmo local. Neste caso, se forem detetadas, por exemplo, quatro pessoas a bordo, o algoritmo será capaz de gerar essa informação e fazer com que o sistema se ajuste em conformidade, adaptando o tal preço da portagem.

Numa realidade mais imediata, a verdadeira função destes radares é precisamente a de verificar quantas pessoas viajam a bordo de um automóvel, mas com o objetivo de sancionar quem viaja erradamente nas faixas especificas para transportes públicos, que também podem ser utilizadas por automóveis que transportem duas ou mais pessoas, uma solução já usada em alguns dos países já mencionados com o objetivo de fazer fluir o trânsito em zonas mais complicadas.

No que diz respeito a Portugal, ainda não existe qualquer previsão sobre a data de chegada de um sistema semelhante às nossas estradas, mas por cá, também ainda não existem regras bem definidas para as soluções de “Car Pooling” ou “Car Sharing”, que já existem noutros países.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)