Como vender o carro na internet?

By on 10 Outubro, 2017

Vender um carro pode ser algo tão célere quanto fastidioso, se demorarmos mais tempo que aquele que antevemos. Porém, num mundo que respira internet, a tarefa está facilitada. Apesar disso, há pequenas dicas que nos podem ajudar neste particular, quando queremos colocar um anúncio para a venda de um veículo. Conheça algumas delas percorrendo a galeria em cima ou vendo os tópicos em baixo.

André Duarte

 

Fotografias: quer queiramos quer não, a imagem vende, e o primeiro impacto pode ser a diferença entre a eficácia ou ineficácia de um anúncio, por mais fantástico que o nosso veículo seja. Devemos por isso, primeiro que tudo, colocá-lo a ‘brilhar’, exterior e interiormente, com uma boa lavagem/limpeza. Depois disso, tirar algumas fotografias – frente, traseira, lateral, interior, detalhes. Publicar entre seis a 10 fotos é o suficiente, oferecendo uma perspetiva do modelo, sem pecar por excesso ou por defeito na informação apresentada.

Informação: se estamos nesta fase, quer dizer que, pelo menos, a imagem “agradou” e houve interesse em saber algo mais. O modelo deve por isso conter uma pequena descrição das suas maiores potencialidades, num texto claro, sucinto e objetivo.

Ficha técnica: devem ser apresentados os dados principais do veículo, como motor, cilindrada ou potência, assim como alguns extras, mas sem cairmos no exagero. Temos que pensar que o anúncio na internet pode chegar a qualquer público, especializado e não especializado, por isso temos que ser o mais claros possíveis na informação, mas sempre com bom senso na quantidade de tópicos apresentados.

Raridade: se for um modelo raro, do qual foram produzidos um número reduzido de unidades, ou uma edição especial, tal também deve ser mencionado.

Histórico do veículo: informações como número de proprietários, número de quilómetros, ano do veículo ou tipo de utilização (carro de utilização diária ou ocasional, por exemplo, só de fim de semana); assim como se tem registo de acidentes, toques ou problemas mecânicos. Não vale a pena omitir qualquer informação, mesmo que isso implique expor algumas lacunas, porque dificilmente algo será pior que a discrepância entre a informação prestada e o estado real do veículo para uma pessoa que esteja interessada numa possível compra.

Motivo da venda: não é forçoso que apareça, mas é algo que é sempre valorizado, mostrando franqueza em relação à venda que se está a realizar. As pessoas gostam sempre de saber a razão pela qual alguém se quer desfazer de algo que elas ponderam adquirir. Terá dado problemas, ou há outro motivo?

Preço: o ideal é fazermos uma pesquisa de mercado e percebermos a sua cotação. É normal que queiramos tirar a maior rentabilidade do nosso produto, mas, por melhor que seja o estado em que este se encontre, é preciso entender que há tetos orçamentais que não devem ser ultrapassados, correndo o risco de dissuadirmos pelo preço possíveis interessados. Podemos, dentro do aceitável, ‘puxar’ pelo seu valor, se se justificar, mas temos de ser razoáveis e não pensar que estamos a vender um carro novo.

Venda online: há vários sites que podem ser um rápido veículo na disseminação do nosso anúncio de venda de um veículo, como o OLX ou o Standvirtual. Estes são dois exemplos de opções para colocarmos um anúncio, que garantidamente irá passar pelos olhos de muitos interessados.

Resposta: um fator muito importante e que não deve ser descurado. O anunciante deve estar alerta para qualquer contacto (seja por e—mail ou telefone) e responder com celeridade aos interessados. Enquanto a nossa resposta é aguardada, o cliente pode estar a fazer outros contactos e o negócio a ‘desenhar-se’ na porta ao lado, tudo porque demorámos a responder a uma solicitação de compra. Não é forçoso que tenhamos que estar alerta a todo o segundo, mas uma consulta regular para verificar se há algum contacto não custa nada e pode trazer-nos os desejados dividendos.

 

 

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz