Volkswagen duramente atingida pelo protocolo WLTP

By on 29 Agosto, 2018

Coisa pouca: os executivos financeiros da Volkswagen estimam que o grupo alemão terá de “queimar” mais de mil milhões de euros para cumprir as novas regras.

A chegada da obrigatoriedade de utilização do novo protocolo WLTP (World Harmonised Light Vehicle Test Procedure) para homologação de emissões e consumos, no lugar do velhinho e menos confiável NEDC (New European Driving Cycle), tem estado a dar enormes dores de cabeça aos construtores que, nesta reta final para a entrada em vigor no dia 1 de setembro (sábado), correm, literalmente, contra o tempo.

Pode ler aqui no seu AUTOMAIS tudo sobre o WLTP e como funciona, sendo que a única certeza neste momento é que todos os carros vendidos depois do dia 1 de setembro de 2018, terão de ser homologados passando o teste WLTP. Por causa disso mesmo, alguns modelos viram as suas vendas suspensas, especialmente, os equipados com motores muito trabalhados para a performance ou com motores pequenos com elevadas performances.

Tudo isto é um custo e adaptar uma gama completa é muito oneroso. Que o diga o grupo Volkswagen que já avisou que os lucros da companhia vão ser duramente atingidos, estimando em mais de mil milhões de euros a redução no valor final. Algo que a Mercedes já tinha anunciado, também.

No caso do grupo Volkswagen, as coisas não têm estado fáceis: Audi, Seat e Skoda já comunicaram que ainda não sabem quais são os modelos que podem, ou não, ser vendidos já em setembro e quais o que ficarão de quarentena até ser encontrada uma forma de os fazer encaixar nas exigências do WLTP.

Segundo algumas informações, há modelos do grupo VW que têm aumentos impressionantes de consumos e emissões e caso houve que os motores tiveram de perder performance para conseguir resultados razoáveis. Por exemplo, o Golf R perdeu 10 CV, o mesmo se passando com o Seat Leon Cupra R. A Porsche suspendeu todas as encomendas de todos os seus carros e colocou em espera o novo Macan, por impossibilidade de desenhar uma gama de motores para o novo modelo.

O Golf GTI foi, mesmo, retirado do mercado e não conhecerá substituto na próxima geração do Golf, a lançar em 2019 e modelos como o SQ5 e A4 1.4 TFSI, são outros que foram atingidos pelo WLTP. O primeiro está suspenso, o segundo recebe o bloco 2.0 TFSI no lugar do 1.4 litros. Na Skoda, foi o Superb a ser atingido com reduções de potência e a troca de motores no Kodiaq.

Porém, não é só o grupo VW atingido. A Peugeot parou a produção do 308 GTI com motor de 276 CV no mês de maio para a substituir por uma versão WLTP compatível que vai aparecer em outubro, suspendendo, igualmente, as variantes com motores de 130 e 165 CV, diesel, do 2008, 3008 e 5008, a serem suspensas.

Fica por saber quem está pronto para o dia 1 de setembro. A revista britânica Autocar fez o inquérito e aqui estão os resultados.

Quem está pronto para o desafio?

Alfa Romeo, BMW, Citroën, Dacia, Fiat, Ford, Honda, Hyundai, Infiniti, Jaguar, Jeep, Kia, Land Rover, Lexus, Mazda, Mini, Mitsubishi, Nissan, Renault, Ssangyong, Suzuki, Toyota, Vauxhall, Volvo

Quem precisa de alterações ou viram produtos afetados?

Audi, Peugeot, Porsche, Seat, Skoda e Volkswagen

Marcas sem anuncio de novidade face ao WLTP

Mercedes e Smart

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)