Volkswagen T-Cross: chegou o rival mais temido pelo Renault Captur

By on 26 Outubro, 2018

A gama de modelos SUV da VW acaba de ficar completa com a adição do novo T-Cross, que a Volkswagen reclama ser o melhor do segmento em versatilidade, tendo como alvo o sucesso de vendas chamado Renault Captur.

Com o T-Cross, a gama SUV da VW oferece um modelo para todas as necessidades, começando no poderoso Touareg, seguindo-se o Tiguan Allspace, o Tiguan e, finalmente, o T-Roc e agora este T-Cross, parente próximo do Seat Arona, mas que chega um ano depois daquele modelo já estar em comercialização. Os homens da Volkswagen admitem que chegaram, novamente, atrasados ao segmento, mas responsáveis há que não vêm nisso qualquer problema. Até porque não é caso virgem.

E com alguma arrogância, Felix Kaschutzke, diretor de projeto do T-Cross, referiu aos jornalistas convidados que “habitualmente não somos os primeiros a chegar, mas quando aparecemos, somos os melhores.” Convencimento e água benta cada um bebe a que quer, naturalmente.

A base do T-Cross é, sem surpresa, a MQB A0, a mesma que serve de base ao Polo, ao Ibiza, enfim, a uma série de modelos, agora e no futuro. E por baixo do manto de bela aparência, esconde-se a mecânica do Polo. Não deixando de contar com alguns detalhes semelhantes ao Polo, o T-Cross foi desenhado para ser diferente por forma a que os consumidores possam perceber que estão perante um SUV onde a versatilidade é palavra chave.

O T-Cross tem um comprimento de 4107 mm e 1558 mm de altura, ou seja, é ligeiramente maior que um VW Polo, sem que a distância entre eixos seja mexida. Já face ao T-Roc, o T-Cross é mais curto importantes 12,7 cm. Tal como sucede no Tiguan, o T-Cross tem um banco traseiro que desliza em calhas, 14 mm. O suficiente para que a bagageira oscile entre os 385 e os 455 litros, chegando aos 1281 litros com os bancos rebatidos. O interior exibe um painel de instrumentos com um efeito 3D e, dado curioso, os bancos do T-Cross estão todos colocados 10 cm mais acima que no Polo.

O T-Cross só tem tração dianteira e, para já, estão disponíveis o bloco 1.0 TSI nas versões de 95 e 115 CV, com caixa manual de 5 ou 6 velocidades e opção DSG de sete marchas, estando, também, disponível o bloco 1.5 TSI com 150 CV. O motor diesel é o bloco 1.6 TDI com 95 CV. Não há planos para uma versão híbrida, mesmo que numa próxima geração não apareça uma unidade de potência híbrida. A VW já deixou claro que não haverá versões GTI ou R, pois o T-Cross não é, de todo, um desportivo. É um carro familiar, funcional e versátil.

Claro está que o T-Cross está equipado com todas as tecnologias de ajuda á condução como a travagem autónoma de emergência, cruise control adaptativo, assistente de manutenção do veiculo na faixa de rodagem, bem como uma ampla conectividade e vários elementos que sublinham a versatilidade do T-Cross. Há vários níveis de equipamento e jantes entre as 16 e as 18 polegadas. O novo SUV da Volkswagen estará à venda no início de 2019.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)