Volvo 360c: a visão do futuro da mobilidade

By on 5 Setembro, 2018

Um veículo com condução autónoma designado como “início de conversa” que a Volvo reconhece poder substituir ligações aéreas de curta distância. Este é o Volvo 360c.

Foi Marten Levenstam, responsável pela estratégia da Volvo, quem apresentou o 360c, afirmando que foi desenhado para oferecer “uma visão de como a tecnologia de condução autónoma vai mudar o mundo como o conhecemos”, lembrando que “as possibilidades são imensas!”

E então, o que é o Volvo 360c? É um veículo elétrico totalmente autónomo que redesenha a forma como as pessoas vão viajar, como é que interagem com os amigos, família e contactos e como se poderá reganhar tempo de qualidade durante o ato de viajar. Para a Volvo, este tipo de veículos pode alterar a forma como até agora as pessoas vivem.

O 360c foi concebido como veículo autónomo de Nível 5. Ou seja, não necessita de ação de um ser humano e, por isso, o interior não tem posto de condução e abandona a configuração típica de assentos como hoje conhecemos num veículo comum. Olhando para algumas imagens, estamos tentados a dizer que estamos perante um quarto com rodas, uma sala de estar ou um espaço de entretenimento.

Segundo Marten Levenstam, em declarações feitas aos jornalistas durante a apresentação do veículo, “o 360c é um início de discussão que trará mais ideias e respostas ao mesmo tempo que aprendemos mais. Seja como for, acreditamos que a condução autónoma total tem forte potencial para mudar de forma fundamental a nossa sociedade de várias formas.”

Para a Volvo, a mobilidade autónoma terá um profundo impacto na forma como as pessoas vão viajar, como as cidades vão ser desenhadas e as infraestruturas serão usadas. E a casa sueca, propriedade da Geely, pretende alimentar a discussão pública sobre este assunto ao passo que a sociedade vai tendo mais informação sobre algo que um estudo recente, que durou três anos, deixa enorme desconfiança nas pessoas. É que apenas 50% dos condutores encartados inquiridos aceitariam utilizar um veículo autónomo.

A Volvo vai mais longe ao dizer que os veículos de condução autónoma podem, mesmo, ocupar o lugar do avião nas deslocações custas, tipo Lisboa-Porto ou Lisboa-Faro, particularmente à noite. O 360c pode transformar-se numa cabina de primeira classe e a marca sueca sugere, mesmo, que viagens até perto de 400 quilómetros serão mais rápidos de veículo autónomo elétrico que de avião.

E a base do argumento a favor do veículo autónomo é a de sempre: o tempo desperdiçado a conduzir em viagem pode ser aproveitado para outras coisas como trabalho, socializar ou entretenimento e a segurança será sempre maior.

Na visão da Volvo, o fardo pesado do tempo desperdiçado em viagem seja pendular casa-trabalho seja em distâncias maiores, tem de ser removido para que as pessoas se afastem das cidades e povoem melhor o espaço habitável. Diz a casa sueca que o 360c, por exemplo, no modo escritório, permite que a pessoa viva mais longe da cidade, com maior qualidade de vida, aproveitando a ligação casa trabalho para desenvolver a sua atividade, utilizando o tempo de melhor maneira.

A ênfase da Volvo reside na maior segurança rodoviária, na redução da poluição e menor congestionamento de tráfego. A consequência lógica é uma melhoria da qualidade de vida para todos. Veremos quando é que este mundo perfeito, mas verdadeiramente asséptico, será uma realidade.

Ensaios: consulte os testes aos novos carros feitos pelos jornalistas do Auto+ (Clique AQUI)
Fichas Auto+: consulte as informações técnicas de todos os modelos à venda em Portugal (Clique AQUI)
Pesquisa: procure todos os modelos que pretende através do motor de Pesquisa Auto+ (Clique AQUI)