BMW 530d Touring – Ensaio

By on 26 Agosto, 2017

BMW 530d Touring

Texto: André Duarte

Beleza em movimento

A quinta geração da BMW Série 5 Touring chegou a Portugal em junho passado. Falamos de um modelo em que dinâmica, assistência à condução, funcionalidade e conectividade foram as bases centrais do seu desenvolvimento. Tendo agora a oportunidade de experienciar a versão 530d Touring, adornada pelo pack desportivo M, a certeza de que há produtos que são um gosto para toda a família ganha novos contornos.

Exterior

Em termos de dimensões, falamos de 4,94 metros de comprimento, 1,86 metros de largura e 1,49 metros de altura. Esteticamente deparamo-nos com um carrinha de linhas definidas, pronunciadas e de apelo estético. A frente conta com uma grelha em forma de rim a que os faróis, de luzes adaptativas LED, estão diretamente ligados, enquanto na traseira assumem o formato em L e a lateral ganha realce pela expressiva distância entre eixos, 2,97 metros.

Mas se a versão ‘normal’ já agrada por si, à luz do referido, o modelo ornado com o pack desportivo M ganha em sofisticação visual. O maior destaque vai para as jantes específicas de 19” ou 20” M Performance, que escondem os travões desportivos M, com pinças a azul escuro. A isto acrescem os frisos exteriores BMW Individual em alumínio satinated
 e o pack aerodinâmico M (incluído no pack desportivo) que garante pára-choques dianteiros e traseiros específicos, da cor da carroçaria, a par de saias laterais, também específicas, que atribuem ao conjunto uma estética mais aguerrida e desportiva. A traseira ganha também a inserção do difusor em Dark Shadow metalizada, além de duas ponteiras de escape trapezoidais em cromado brilhante. O símbolo M na lateral dá o toque final a um conjunto que transmite uma excelente impressão geral, chamando a si uma, ao mesmo tempo, imponente e discreta sensualidade.

Interior 

Comodidade, modernidade e tecnologia são os pilares em que assenta um habitáculo em que sentimos que nada foi deixado ao acaso. Os materiais são de grande qualidade, com detalhes que geram agrado e nos recordam que este é um produto com toque M, inserção que se encontra no volante em pele, soleiras das portas, iluminadas, tapetes específicos. A isto acrescem os pedais e apoio de pé em alumínio.

Os bancos são confortáveis e na frente permitem uma regulação a vários níveis, da altura à extensão ou apoio lombar, tendo também programa de massagens e aquecimento. Tudo para que o corpo fique instalado como uma luva.

A sensação de luxo aumenta com um ecrã de 12,3″ ao centro do tablier que nos permite aceder a todas as informações, conectividade e infoentretenimento: navegação, chamadas, serviço de concierge, email, informações de trânsito em tempo real, internet e informações sobre o veículo e a viagem. Há ainda carregamento para telemóvel sem fios na consola central e acesso a Hotspot WiFi. Para mais há quatro formas de acedermos a estas informações. Através do toque no ecrã tátil, do stick rotativo na consola central, do comando por voz ou do controlo por gestos (este último mais limitativo, permitindo apenas regular o volume do rádio, mudar a estação ou atender chamadas).

Nos lugares traseiros o conforto e espaço mantêm-se, havendo a opção de regulação de climatização ou de colocação de cortinas para o sol. Há ainda a possibilidade de termos extras de luxo. Neste particular, o de maior destaque na versão ensaiada, ao nível do interior, foi o sistema multimédia profissional (2380€) para os bancos traseiros: dois ecrãs independentes, de 10,2” cada, nas costas dos bancos dianteiros, que permitem aceder às mesmas informações do ecrã no tablier, através de um comando. Podem ainda ver-se filmes por via do leitor Blu-Ray, programas de televisão, navegar na internet ou ligar leitores de MP3 e consolas de jogos, entre outros, podendo-se aceder a funções de navegação de forma independente do condutor (caso exista um sistema de navegação). Outra das opções a ter em conta é o teto panorâmico de abertura elétrica
(1430€), que contribui com uma luminosidade e sensação de espaço tocantes.

A iluminação interior (330€) que circunda todo o habitáculo, do tablier às portas, criando uma agradável aura envolvente, principalmente durante a noite, permite-nos vaguear entre várias tonalidade, como azul, laranja, roxo, verde ou branco, regulando também a intensidade, revelando-se um belo toque de requinte.

 Sendo de uma carrinha que falamos, a bagageira é um dos pontos fundamentais e apresenta-se ao melhor nível nesta 530d Touring, estabelecendo-se nos 570l ou 1700l com os bancos traseiros rebatidos (na proporção 40:20:40 e na totalidade através de um botão) e oferecendo um fundo plano. O óculo traseiro pode também ser aberto de forma independente do portão da bagageira, o que se revela muito prático em termos de utilização.

Já a chave inteligente com ecrã permite-nos regular e agendar a climatização, estando fora do veículo, estacioná-lo, consultar a autonomia e o estado de alguns parâmetros, assim como saber se este se encontra ou não trancado.

Sistemas de Assistência à Condução e Segurança

Ao nível dos sistemas de assistência à condução, destaque para a condução semiautónoma com controlo de direção e transposição involuntária de faixa de rodagem, ativos até aos 210 km/h; proteção ativa contra colisões laterais; alerta de tráfego em cruzamento; aviso de cruzamentos e de entrada em contramão; um head-up display 70% maior e um novo design de cockpit direcionado também para o condutor; sensor de fadiga; limitador de velocidade que pode ser incorporado com o 
ACC; controlo de estacionamento à distância (que permite colocar ou retirar o veículo do estacionamento estando fora dele, através da chave inteligente); assistente de estacionamento; cruise control ativo (ACC) com função stop & go; PDC ativo (ajuda-nos nas manobras de estacionamento em marcha atrás, evitando eventuais colisões); Surround View (o sistema de câmaras com função de câmara traseira, vista panorâmica, Top View e visualização tridimensional); BMW Night Vision com reconhecimento de peões (muito útil, principalmente quando, em condução noturna, nos cruzamos com pessoas a circular na berma sem qualquer tipo de equipamento que os sinalize, como um colete refletor, por exemplo, alertando-nos para isso; o sistema reconhece a presença de pessoas ou animais no escuro a uma distância de 300 metros).

Ao volante

A posição de condução é muito agradável, até porque o banco nos permite uma infindável possibilidade de regulações. A isto junta-se o facto de tudo estar direcionado para o condutor, incluindo a consola central ligeiramente inclinada. Um gosto. A visibilidade exterior é boa e no interior o painel de instrumentos é de fácil leitura, porém, em estrada, facilmente este passa para segundo plano, porque o muito útil head-up display apresenta-nos todas as informações necessárias à condução, como sinais de trânsito, velocidade ou navegação, de forma clara e acessível.

O volante multifunções permite-nos recorrer ao comando por voz, ou selecionar o cruise control adaptativo ou limitador de velocidade, como também o stick rotativo junto do seletor se revela muito prático para acedermos às funcionalidades do ecrã no tablier.

Chegado o momento da verdade, carregamos no Start & Stop e seguimos viagem. Sozinhos ou acompanhados a sensação é de prazer desde o primeiro momento, com um comportamento dinamicamente irrepreensível, oferecendo grande estabilidade e segurança. Passeando pelos modos de condução – Sport, Comfort; Eco Pro; Adaptive – sente-se uma diferença clara na alteração das parametrizações do motor, caixa, suspensão e direção.

Para o dia a dia o Adaptive é sem dúvida a melhor opção, porque as parametrizações adaptam-se de forma imediata a cada momento de condução, ou o Comfort, para quem dá primazia à comodidade. Neste último perceciona-se de imediato a alteração do curso da suspensão, com o amortecimento a traduzir-se num agradável jogo de sobe e desce na relação com as imperfeições do piso, proporcionando um conforto de exceção aos ocupantes.

Já o Eco Pro, focado na otimização dos consumos, deixa no ar a sensação de algum esforço para deslocar os 1825 kg de peso do conjunto, que ‘recheado’ com o  condutor, passageiros ou bagagem, facilmente ultrapassa as duas toneladas.

Mas é o Sport aquele que nos permite tirar partido do melhor que o bloco 3.0 de 6 cilindros e 265 cv tem para o oferecer. E tem muito. Um impressionante binário de 620 Nm disponível a partir das 2000 rpm e 5,8 segundos a separarem-nos da meta dos 100 km/h.

A um pisar mais intempestivo do acelerador, há um contido rugido oriundo do capot, acompanhado por uma decidida e progressiva resposta do eixo traseiro, que nos garante sempre tração, mesmo em situações de maiores excessos, numa entrega de potência que navega entre uma suave consistência e uma progressão decidida, sob as indicações precisas da caixa automática Steptronic de 8 velocidades, que podemos controlar manualmente através das patilhas de volante ou do seletor.

A parametrização da suspensão focada na dinâmica é de imediato evidente na abordagem em curva. A inserção é feita de forma ainda mais confiante, limpa e segura e a saída é acompanhada em igual tom.

Apesar de o modo Sport ser aquele que mais potencia as características da BMW 530d Touring, no global, sentimos sempre uma resposta pronta e decidida, sem que esta chicoteie ou lance a traseira para cenários não desejados. Seja qual for a situação ou a nossa abordagem, o comportamento do conjunto e a confiança que nos transmite são sempre nota dominante, com a noção de segurança a acompanhar-nos a todo o momento. Tudo trabalha orquestralmente em sintonia, permitindo-nos levar toda a família em grande estilo e velocidade, enquanto nos mantemos abstraídos da realidade exterior, fruto da excelente insonorização que nos é oferecida. Facilmente esquecemos que temos uma carrinha familiar em mãos, com 1825 kg e 4,94 metros de comprimento.

Consumos

Numa condução cuidada, dentro da legalidade, realizámos consumos de 6,4l, no modo Eco Pro, não conseguindo por isso uma aproximação aos 4,7l que a marca anuncia. Ainda assim, numa carrinha com 1825 kg e em que será normal rodar-se com um peso a rondar as duas toneladas (se levarmos companhia e bagagem), não se pode considerar uma exorbitância. Por outro lado, numa condução descomprometida, sem preocupação com os consumos e com alguns momentos de diversão pelo meio, leia-se, a explorar o que o bloco de 265 cv tem para oferecer, os registos ficam na casa dos 8l, o que é muito interessante de se aferir.

Motorizações e versões disponíveis

Em termos de motorizações, a oferta da Série 5 Touring divide-se por dois blocos a gasolina e dois a diesel. No primeiro caso, pode encontrar-se o 530i e 540i xDrive, no segundo, o 520d e 530d. O preço de entrada cifra-se nos 58.360€ para a versão 520d com caixa manual de 6 velocidades, que como opcional tem a caixa automática Steptronic de 8 velocidades que equipa de série as restantes versões. Já a versão 530d tem como preço de entrada 79.670€. Nas propostas a diesel, a versão topo é naturalmente a 530d xDrive, que começa nos 84.650€. Em termos de níveis de equipamento há a considerar o Sport Line, Luxury Line e ainda o Pack desportivo M.

Equipamento Opcional

Talvez este seja o maior senão da BMW 530d Touring. É que para termos todas as mordomias, além dos 79,670€ de base, temos que acrescentar à fatura 37.249€ em opcionais, o que eleva o preço final para os 116.919€. Entre a vasta lista que a BMW disponibiliza, destaque para: proteção ativa 370€; barras de tejadilho em prata mate 370€; frisos exteriores BMW Individual em alumínio Satinated 540€; Pack desportivo M 4760€; Pack Line Sport 2000€; Pack Line Luxury 1800€; luzes de leitura traseiras BMW Individual 420€; Luz Ambiente 330€; sistema de lavagem de faróis 280€; controlo de iluminação em curva 470€; luzes adaptativas LED 1550€; assistente de luzes de máximos 140€; transmissão  automática desportiva; com patilhas no volante Steptronic 260€; controlo dinâmico de amortecimento 1239€; Adaptive Drive 3670€; direção ativa integral 1300€; suspensão desportiva M 440€; câmara traseira 470€; assistente de condução 1130€; assistente de condução Plus 2900€; assistente de estacionamento 610€; cruise control ativo com stop & Go 1250€; estacionamento remoto 520€; BMW Night Vision com reconhemimento de pessoas 2070€; chave BMW com display 300€; sistema de navegação profissional 780€; head-up diisplay 1230€; sistema multimédia profissional para os bancos traseiros 2380€; conectividade para aparelhos móveis, aparelhos bluetooth e USB com carregamento wireless 610€; controlo por gestos BMW 260€; painel de instrumentos multifuncional 410€; sistema de som surround Bowers & Wilkins Diamond 4810€; serviços de concerne 259€; bancos dianteiros comfort ajustáveis eletricamente 2370€.

Concorrentes

Neste particular são três os principais modelos a considerar, ainda que todos eles divirjam entre si, seja na cilindrada ou na potência. A Audi conta com a A6 Avant 3.0 TDI quattro S tronic com 272 cv e um preço de entrada de 82.821€. Já a Mercedes apresenta a E 350 d Station com 258 cv por 76.799€, enquanto a Volvo tem como representante a V90 Momentum D5 Geartronic AWD com 235 cv por 66.906€. Face a estes a BMW posiciona-se com um preço, 79,670€, e potência, 265 cv, que se balizam entre os seus concorrentes. Um campeonato em que todos apresentam argumentos para serem candidatos a titulares no ato de escolhermos o próximo veículo para levar a família. Mais que a fatura, irá certamente mandar o gosto e preferências pessoais.

Balanço Final

As viagens em família ganham uma nova aura e encanto a bordo da nova proposta da BMW. Espaço, conforto, requinte e prazer ao volante alicerçam a nossa experiência desde o primeiro momento e perduram na memória do tempo depois da despedida. A 520d Touring, com os seus 190 cv, é um belo exemplar, mas os 265 cv oriundos do bloco seis cilindros que equipa a 530d Touring trazem um pedigree extra a todos os níveis, garantindo viagens rápidas sem que o peso de levarmos cinco passageiros ou bagagem interfiram. A solo também nos fazem dar largas à imaginação, num conjunto em que consistência e qualidade se passeiam lado a lado. Juntando a tudo isto o pack desportivo M, a alma visual ganha outro encanto. Só é pena, mesmo, a quantidade de equipamento que surge como opcional, que, no caso da versão ensaiada, obriga a um investimento acrescido de 37.249€, além dos 79,670€ da versão base. Poderá dar que pensar, mas não é forçoso que optemos ou queiramos tudo. Independentemente disso, a experiência de utilização é um regalo, em igual medida para condutor e passageiros, e isso diz muito do produto que a BMW colocou no mercado…

Mais:  Motor; Comportamento dinâmico; Conforto; Espaço; Insonorização

Menos: Quantidade de equipamento que surge como opcional

 

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – diesel, 6 cilindros, TwinPower Turbo, injeção direta

Cilindrada (cm3) – 2993

Diâmetro x curso (mm) – 90,0 x 84,0

Taxa de compressão – 16,5:1

Potência máxima (cv/rpm) – 265/4000

Binário máximo (Nm/rpm) – 620/2000-2500

Transmissão e direcção – traseira, transmissão automática Steptronic de 8 velocidades; direção ativa integral

Suspensão (fr/tr) – Independente McPherson à frente e multibraços atrás

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 5,8s

Velocidade máxima (km/h) – 250 km/h

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 4,3/5,4/4,7

Emissões de CO2 (g/km) – 124

Dimensões e pesos 

Comp./largura/altura (mm) –  4943/1868/1498

Distância entre eixos (mm) – 2975

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1605/1630

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/Discos ventilados

Peso (kg) – 1825

Capacidade da bagageira (l) – 570/1700 (c/bancos rebatidos)

Depósito (l) – 66

Pneus (fr/tr) – 245/40 R19 e 275/35 R19