Renault Arkana E-Tech – Ensaio Teste

By on 29 Outubro, 2021

Renault Arkana E-Tech – Ensaio Teste

Texto: Guilherme André

A versão eletrificada do SUV Coupé

O Renault Arkana está de regresso ao Automais, desta vez na sua forma híbrida, E-Tech. Apesar de ter mais 5 cv do que a versão a gasolina TCe 140, esta variante é mais focada na eficiência ao apresenta valores de consumo inferiores. Mas a grande pergunta é: qual das duas é a melhor?


Mais:

Design, consumos

Menos:

Visibilidade traseira, Bagageira mais pequena do que versão a combustão

Exterior

8/10

Exterior (8/10) No exterior a variante E-Tech é em tudo semelhante às restantes a combustão. O SUV coupé de segmento C, que recorre à plataforma CMF-B utilizada no Captur de segmento inferior, apresenta uma carroçaria que apenas as marcas premium têm no seu portfólio. Com o nível de equipamento R.S. Line o carácter dinâmico é ainda mais aprimorado ao apresentar-se com para-choques e jantes específicas deste nível de equipamento.

Interior

7/10

Interior (7/10) Ao abrir a porta, a variante E-Tech mantém os atributos das versões a combustão pura, contudo, sai penalizada no que toca à bagageira. De facto, o E-Tech garante 480 litros de volumetria contra os 513 litros da versão a combustão pura. Relativamente a espaço, a Renault encontrou um bom compromisso entre estilo e funcionalidade, ao permitir viajar com dois adultos nos bancos traseiros.

De referir que o Renault Arkana E-Tech apresenta uma boa construção no habitáculo, bem como, uma boa insonorização. No capítulo da tecnologia, o SUV coupé conta com argumentos semelhantes ao Clio e Captur ao apresenta um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro o ecrã tátil “flutuante” transmite as informações do mais recente sistema de infotainment da marca. A variante híbrida perde ainda as patilhas de volante, visto que não adota uma transmissão EDC, mas sim multimodo.

Equipamento

7/10

Equipamento (7/10) A unidade em questão está equipada com o nível R.S. Line, o mais desportivo e dispendioso da gama. Nesta versão, vão encontrar de série faróis e farolins em LED, câmara da marcha-atrás, cruise control adaptativo e limitador de velocidade, jantes de 18 polegadas, modos de condução multi-sense, navegação, vidros traseiros escurecidos, volante em couro, ar condicionado, sistema de assistência na transposição de faixa, entre outros.

Consumos

8/10

Consumos (8/10) Uma das grandes vantagens do Renault Arkana E-Tech face às versões com motor térmico é a eficiência, com a motorização híbrida a ter um consumo anunciado de 4,9 l/100 km. Durante o nosso ensaio percebemos que este valor é fácil de alcançar, aliás, no modo de condução “Eco” conseguimos superar ao realizar 4,6 l/100 km. Em modo “normal”, o E-Tech deu-nos um consumo combinado de 5,5 l/100 km. Caso faça vários quilómetros em autoestrada, os valores sobem para valores a rondar os 6,5 l/100 km. Seja qual for o tipo de utilização, o E-Tech é mais eficiente do que o TCe 140.

Ao Volante

8/10

Ao volante (8/10) Ao volante, o Renault Arkana E-Tech tem uma afinação de suspensão ligeiramente mais suave, o que beneficia o conforto e ajuda a filtrar as irregularidades da estrada. Apesar de prejudicar ligeiramente a dinâmica, o Arkana continua a ser superior ao Kadjar neste capítulo. A variante híbrida é mais pesada do que a versão TCe 140 e isso sente-se muito ligeiramente na transferência de massas em curvas mais velozes.

Motor

8/10

Motor (8/10) Esta variante híbrida recorre a uma motorização desenvolvida com o apoio dos dados adquiridos na Fórmula 1, de forma a elevar a eficiência do mesmo. Para tal, o motor 1.6 litros a gasolina surge associado a dois motores elétricos que debitam uma potência combinada de 145 cv. A potência é transmitida às rodas dianteiras através de uma caixa automática multimodo. Esta motorização é suave e silenciosa, principalmente nos arranques, com as transições entre combustão e elétrico a serem praticamente impercetíveis. A resposta ao acelerador é enérgica, contudo, a caixa de velocidades multimodo é algo lenta a decifrar que relação de caixa deve adotar.

Balanço Final

8/10

Balanço Final (8/10) Em suma, o Renault Arkana tem duas motorizações bastante competentes. Se procura um SUV coupé ligeiramente mais dinâmico e mexido, então o TCe 140 com transmissão EDC é a melhor escolha. Se pura e simplesmente quer um Renault Arkana “poupado”, o E-Tech é, sem dúvida, a melhor opção.

Concorrentes

Nissan Qashqai DIG-T 158CV – Motor: Quatro cilindros, 1.3 litros, turbo, gasolina + mild hybrid; Potência: 158 cv e 270 Nm de binário; Transmissão: Automática; Bagageira: 504 litros; preço base: 31 300€

Citroën C4 PureTech 130 – Motor: Quatro cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 130 cv e 300 Nm de binário; Transmissão: Automática de 8 velocidades; Bagageira: 380 litros; preço base: 25 607€

Ficha Técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, gasolina + sistema híbrido

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x Curso (mm): 78 x 83,6

Taxa de Compressão: n.d.

Potência máxima (CV/rpm): 145/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): n.d.

Tração: dianteira

Transmissão: Automática multimodo

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,8

Velocidade máxima (km/h): 172

Consumos misto (l/100 km): 4,9

Emissões CO2 (gr/km): 111

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4568/1821/1576

Distância entre eixos (mm): 2720

Largura de vias (fr/tr mm): 1562/1584

Peso (kg): 1510

Capacidade da bagageira (l): 480

Deposito de combustível (l): 50

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): n.d. €

Preço da versão base (Euros): 33 800 €

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Exterior (8/10) No exterior a variante E-Tech é em tudo semelhante às restantes a combustão. O SUV coupé de segmento C, que recorre à plataforma CMF-B utilizada no Captur de segmento inferior, apresenta uma carroçaria que apenas as marcas premium têm no seu portfólio. Com o nível de equipamento R.S. Line o carácter dinâmico é ainda mais aprimorado ao apresentar-se com para-choques e jantes específicas deste nível de equipamento.

Interior

Interior (7/10) Ao abrir a porta, a variante E-Tech mantém os atributos das versões a combustão pura, contudo, sai penalizada no que toca à bagageira. De facto, o E-Tech garante 480 litros de volumetria contra os 513 litros da versão a combustão pura. Relativamente a espaço, a Renault encontrou um bom compromisso entre estilo e funcionalidade, ao permitir viajar com dois adultos nos bancos traseiros.

De referir que o Renault Arkana E-Tech apresenta uma boa construção no habitáculo, bem como, uma boa insonorização. No capítulo da tecnologia, o SUV coupé conta com argumentos semelhantes ao Clio e Captur ao apresenta um painel de instrumentos digital, enquanto ao centro o ecrã tátil “flutuante” transmite as informações do mais recente sistema de infotainment da marca. A variante híbrida perde ainda as patilhas de volante, visto que não adota uma transmissão EDC, mas sim multimodo.

Equipamento

Equipamento (7/10) A unidade em questão está equipada com o nível R.S. Line, o mais desportivo e dispendioso da gama. Nesta versão, vão encontrar de série faróis e farolins em LED, câmara da marcha-atrás, cruise control adaptativo e limitador de velocidade, jantes de 18 polegadas, modos de condução multi-sense, navegação, vidros traseiros escurecidos, volante em couro, ar condicionado, sistema de assistência na transposição de faixa, entre outros.

Consumos

Consumos (8/10) Uma das grandes vantagens do Renault Arkana E-Tech face às versões com motor térmico é a eficiência, com a motorização híbrida a ter um consumo anunciado de 4,9 l/100 km. Durante o nosso ensaio percebemos que este valor é fácil de alcançar, aliás, no modo de condução “Eco” conseguimos superar ao realizar 4,6 l/100 km. Em modo “normal”, o E-Tech deu-nos um consumo combinado de 5,5 l/100 km. Caso faça vários quilómetros em autoestrada, os valores sobem para valores a rondar os 6,5 l/100 km. Seja qual for o tipo de utilização, o E-Tech é mais eficiente do que o TCe 140.

Ao volante

Ao volante (8/10) Ao volante, o Renault Arkana E-Tech tem uma afinação de suspensão ligeiramente mais suave, o que beneficia o conforto e ajuda a filtrar as irregularidades da estrada. Apesar de prejudicar ligeiramente a dinâmica, o Arkana continua a ser superior ao Kadjar neste capítulo. A variante híbrida é mais pesada do que a versão TCe 140 e isso sente-se muito ligeiramente na transferência de massas em curvas mais velozes.

Concorrentes

Nissan Qashqai DIG-T 158CV – Motor: Quatro cilindros, 1.3 litros, turbo, gasolina + mild hybrid; Potência: 158 cv e 270 Nm de binário; Transmissão: Automática; Bagageira: 504 litros; preço base: 31 300€

Citroën C4 PureTech 130 – Motor: Quatro cilindros, 1.2 litros, turbo, gasolina; Potência: 130 cv e 300 Nm de binário; Transmissão: Automática de 8 velocidades; Bagageira: 380 litros; preço base: 25 607€

Motor

Motor (8/10) Esta variante híbrida recorre a uma motorização desenvolvida com o apoio dos dados adquiridos na Fórmula 1, de forma a elevar a eficiência do mesmo. Para tal, o motor 1.6 litros a gasolina surge associado a dois motores elétricos que debitam uma potência combinada de 145 cv. A potência é transmitida às rodas dianteiras através de uma caixa automática multimodo. Esta motorização é suave e silenciosa, principalmente nos arranques, com as transições entre combustão e elétrico a serem praticamente impercetíveis. A resposta ao acelerador é enérgica, contudo, a caixa de velocidades multimodo é algo lenta a decifrar que relação de caixa deve adotar.

Balanço final

Balanço Final (8/10) Em suma, o Renault Arkana tem duas motorizações bastante competentes. Se procura um SUV coupé ligeiramente mais dinâmico e mexido, então o TCe 140 com transmissão EDC é a melhor escolha. Se pura e simplesmente quer um Renault Arkana “poupado”, o E-Tech é, sem dúvida, a melhor opção.

Ficha técnica

Motor                                                                            

Tipo: 4 cilindros em linha, gasolina + sistema híbrido

Cilindrada (cm3): 1598

Diâmetro x Curso (mm): 78 x 83,6

Taxa de Compressão: n.d.

Potência máxima (CV/rpm): 145/n.d.

Binário máximo (Nm/rpm): n.d.

Tração: dianteira

Transmissão: Automática multimodo

Direção: Pinhão e cremalheira, assistida eletricamente

Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson / eixo de torção

Travões (fr/tr): discos ventilados / discos

Prestações e consumos 

Aceleração 0-100 km/h (s): 10,8

Velocidade máxima (km/h): 172

Consumos misto (l/100 km): 4,9

Emissões CO2 (gr/km): 111

Dimensões e pesos 

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4568/1821/1576

Distância entre eixos (mm): 2720

Largura de vias (fr/tr mm): 1562/1584

Peso (kg): 1510

Capacidade da bagageira (l): 480

Deposito de combustível (l): 50

Pneus (fr/tr): 215/55 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): n.d. €

Preço da versão base (Euros): 33 800 €