Jaguar E-Pace 2.0 D180 S AWD – Ensaio Teste

By on 29 Agosto, 2018

Jaguar E-Pace 2.0 D180 S AWD

Texto: Francisco Cruz

O peso de um nome

Depois do sucesso alcançado com o F-Pace, a Jaguar alarga a ambição, com o lançamento do seu primeiro SUV compacto, o E-Pace. Resta saber se com argumentos suficientes para arranhar rivais como o Audi Q3 ou o BMW X1…


Mais:

Habitabilidade / Conforto / Motor

 

Menos:

Preço / Volante um pouco grande / Modo Dynamic

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Com o mercado a viver um novo tempo, marcado pelo advento dos SUV e, de forma cada vez mais acentuada, pelas propostas mais compactas, a Jaguar posiciona-se para, a exemplo das principais referências premium, garantir o seu quinhão neste sub-segmento. Mais concretamente, através de uma proposta que procura reproduzir, num corpo mais pequeno, a identidade, estatuto e sex-appeal evidenciados pelo irmão maior, F-Pace.

Partilhando a plataforma com o Range Rover Evoque, entre outras propostas, opção que lhe permite exibir dimensões mais contidas que o F-Pace —comprimento a tocar os 4,4 m, além de uma altura muito perto dos 2,0 m e uma distância entre eixos a rondar os 2,7 m — o Jaguar E-Pace apela aos genes familiares, desde logo, numa frente sólida, marcada por uma grelha de dimensões generosas, a que soma as mesmas “enormes” cavas das rodas com protecções em plástico do irmão, e, principalmente, uma traseira onde não faltam os rasgados farolins traseiros estreados no desportivo F-Type. Com a diferenciação a surgir, depois, através de elementos como as ópticas, a crescerem sobre o pára-lamas, lado a lado com o capot, e não rasgadas como no F-Pace, ou até mesmo das ponteiras de escape metalizadas e integradas na parte inferior do pára-choques – infelizmente, opcionais, com um custo extra de 404,95€…

No caso específico da unidade por nós ensaiada, a inclusão ainda de opcionais como o Black Exterior Pack (566,34€), sinónimo de grelhas frontais e laterais em negro brilhante, tal como as molduras dos vidros, a cor Branco Yulong (915,53€), os vidros Privacy (431,36€) e as jantes de 19″ Style 1039 (861,73€) com pneus Goodyear Eagle F1 . Embora o E-Pace venha, de fábrica, com umas já bastante consideráveis jantes de 18…

Interior

Num interior bem construído e sólido, o esforço de aproximação ao mais estatutário F-Pace volta a surgir em aspectos como o volante, de desenho idêntico e, também aqui, um pouco grande. Ainda que com óptima pega, botões funcionais e intuitivos, além de multiregulável.

Igualmente com todos os ajustes (elétricos) surge o banco do condutor, confortável, embora com não muito apoio lateral, mas ainda assim a garantir uma posição de condução alta. Embora mais convincente pela forma como garante o acesso à generalidade dos comandos, do que propriamente pela visibilidade traseira – demasiado dependente das ajudas electrónicas…

Por outro lado e confirmar o posicionamento à partida mais acessível, um painel de instrumentos de leitura fácil, mas de mostradores analógicos, além de um ecrã a cores e táctil, integrado na consola central, enquanto parte do sistema de infotainment. Mas com revestimentos menos luxuosos que no F-Pace e sem aplicações em metal.

Diferente é, de resto, também a manche da caixa de velocidades automática, mais “vulgar” que o emblemático botão rotativo elevatório, onde passa a existir igualmente uma pega para o passageiro do lado, integrada na consola entre os bancos dianteiros.

Sem mesma exuberância visual ou táctil do irmão maior, o mais pequeno dos SUV da Jaguar não deixa, ainda assim, de assegurar um excelente conforto e habitabilidade para todos os ocupantes, inclusive, os dos lugares traseiros, aos quais não falta sequer, além de um bom acesso, espaço em todos os sentidos. Inclusive, para um potencial passageiro no lugar do meio, onde, graças a um  túnel de transmissão pouco intrusivo, só mesmo facto do assento ser mais estreito, poderá ser entendido como uma potencial limitação.

Finalmente e quanto ao espaço destinado às bagagens, a mesma apreciação positiva, graças não só a um acesso facilitado através de um portão de dimensões generosas (e que, opcionalmente, pode ter accionamento elétrico, por mais 538,95€), mas também fruto de uma capacidade de carga que começa nos 577 litros, com ganchos porta-sacos, alçapão por baixo do piso falso e quatro (!) pontos de luz (dois, no interior do portão). E que pode chegar aos 1.234 litros, mediante o rebatimento fácil (60:40) das costas dos bancos, no seguimento do piso, mas também na perpendicular…

Equipamento

Mesmo optando pelo nível de equipamento S — existe ainda, além da versão base, os mais equipados SE e o HSE, além de um pacote R-Dynamic que pode ser acrescentado em qualquer uma destas versões —, não se pode dizer que o Jaguar E-Pace surja propriamente “despido”, já que inclui de série, não somente o Connect Pro Pack, mas também mais-valias como os faróis automáticos, limpa pára-brisas com sensor de chuva, espelhos retrovisores aquecidos, com anti-encandeamento, recolha elétrica e iluminação de aproximação, sistema de monitorização da pressão de pneus, sistema de reparação de pneus, ar condicionado automático de duas zonas, manómetros analógicos com ecrã TFT central, inControl Apps, sistema Touch Pro, Navigation Pro, Controlo Dinâmico de Voz, controlos por voz,  assistente de estilo de condução ECO, travão de estacionamento elétrico e botão de arranque.

Já no domínio da dinâmica, Hill Launch Assist, Jaguar Drive Control e Controlo Dinâmico de Estabilidade, ao passo que, como sistemas de assistência ao condutor, Travagem de Emergência, Controlo de Velocidade de Cruzeiro e Limitador de Velocidade Adaptativo, Reconhecimento de Sinais de Trânsito, Monitor da Atenção do Condutor, Assistência à Manutenção na Faixa de Rodagem e Câmara Traseira. Surgindo depois como sistemas de segurança o ABS e EBD, os airbags (seis), alarme perimétrico e trancagem automática configurável pelo proprietário.

Chega?…

Consumos

Disponível, no caso do Diesel, apenas com motores de quatro cilindros 2,0 litros Ingenium, a unidade que tivemos oportunidade de testar, exibia a potência intermédia, 180 cv. Bloco de desempenho expedito e vigoroso, que nem mesmo as quase duas toneladas do conjunto chegam para impedir acelerações dos 0 aos 100 km/h em menos de dez segundos, ou uma velocidade máxima anunciada de 205 km/h. Sendo que, para estes resultados, contribui, igualmente e de forma importante, uma já aqui elogiada caixa automática ZF de 9 velocidades, embora sem patilhas no volante, mas que não deixa de ser um exemplo de suavidade nas passagens, como também agradável na rapidez de atuação.

De resto, também a favor deste 2,0 litros, a excelente insonorização, assim como os consumos. Cujas médias a rondar os 8,0 l/100 km, não deixam de poder ser consideradas positivas, face ao desempenho deste bloco Ingenium…

Ao volante

Mais pequeno que F-Pace, mas também surpreendentemente mais pesado, o Jaguar E-Pace não deixa de se assumir como uma proposta pensada, acima de tudo, em prol do conforto dos ocupantes. Acrescentando a um pisar sempre aveludado, um desempenho invariavelmente controlado — isto, apesar de algumas ligeiras cedências das suspensão quando perto dos limites, culpa, também, da maior altura ao solo. Particularidades que, ainda assim, não impedem que o SUV britânico seja uma proposta fácil e agradável de conduzir.

Já para aqueles que procuram um pouco mais de emoção, uma opção Dynamic no sistema de modos de condução, disponível através de um simples pressionar do botão na consola da caixa de velocidades. E que, embora garantindo um pouco mais de reactividade e motor, caixa e direcção — esta última marcada por não tanto peso ou feedback quanto seria de esperar —, dificilmente consegue convencer aqueles que estão à espera de um pouco mais de adrenalina, até por nunca esquecer a importância do bem-estar.

Por outro lado e porque se trata de um produto com algumas ambições offroad, não apenas a já referida maior altura ao solo e a presença de um sistema de tracção integral inteligente, mas também um modo específico no sistema Adaptative Dynamics. Embora vocacionado não tanto para o fora-de-estrada, mas mais para momentos de chuva, gelo e neve. Argumentos que são também sinónimo de eficácia e segurança acrescida, ainda que, no caso da tracção integral, bem menos agradável no momento em que seguimos por auto-estrada, onde somos obrigados a pagar Classe 2…

Já em cidade, a preferência pelo modo ECO, sinónimo de maior poupança de combustível, com as limitações do motor a não se fazerem sentir por aí além. Até porque o E-Pace consegue manter um desempenho agradável, seguro, confortável; as suas maiores qualidades em qualquer ambiente ou viagem…

Concorrentes

Audi Q3 2.0 TDI quattro, 184 cv, 7,9s 0-100 km/h, 219 km/h, 5,3 l/100 km, 138 g/km, 51.810€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

BMW X1 xDrive20d Auto, 190 cv, 7,8s 0-100 km/h, 219 km/h, 4,7 l/100 km, 126 g/km, 53.340€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mercedes-Benz GLC 220d 4MATIC 9G-TRONIC, 170 cv, 8,2s 0-100 km/h, 210 km/h,  5,0 l/100 km, 129 g/km, 91.174€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volvo XC60 D4 Geartronic 8 vel. AWD, 190 cv, 8,4s 0-100 km/h, 205 km/h, 5,5 l/100 km, 144 gr/km, 58.027€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Balanço final

Novo modelo de entrada na oferta SUV da Jaguar, o E-Pace apresenta-se ao serviço procurando aproveitar não somente o sucesso já alcançado pelo irmão F-Pace, mas também o peso do nome da família a que pertence. Qualidades visíveis não apenas na estética e equipamento, mas também na habitabilidade e conforto. Afinal, os seus maiores atributos…

 

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha, injecção directa Common-Rail, turbocompressor de geometria variável e intercooler

Cilindrada (cm3): 1.999

Diâmetro x curso (mm): 83.0×92.35

Taxa compressão: 15.5:1

Potência máxima (cv/rpm): 180/4.000

Binário máximo (Nm/rpm): 430/1.750

Transmissão / direcção:

Tipo: Integral, com caixa automática de oito velocidades

Direcção: de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr): Tipo McPherson; Multibraços

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

Prestações e consumos 

Aceleração: 0-100 km/h (s): 9,1

Velocidade máxima (km/h): 205

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km): -/-/6,0

Emissões de CO2 (g/km): 159

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,411/1,984/1,649

Distância entre eixos (mm): 2,681

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1.625/1.624

Peso (kg): 1.843

Capacidade da bagageira (l): 577/ 1.234

Depósito de combustível (l): 55,7

Pneus (fr/tr): 235/60 R18 / 235/60 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 71773€
Preço da versão base (Euros): 64965€