Volvo V90 D4 Momentum – Ensaio Teste

By on 27 Julho, 2018

Volvo V90 D4 Momentum

Texto: José Luís Abreu

Espaço e conforto

Fazendo uma analogia com o recente Mundial de Futebol, a Volvo V90 D4 Momentum é daquelas carrinhas que chega muitas vezes às meias finais, mas acaba por nunca ganhar o campeonato aos alemães, Audi, BMW ou Mercedes. Mas isso pode estar prestes a mudar…

Ironia das ironias. Procurava um trocadilho entre suecas e alemãs, e neste Mundial de Futebol a Alemanha foi eliminada no preciso mesmo dia que a Suécia seguiu em frente. Pois é, pode haver coisas que nunca mudam, mas esta máxima do jogam onze contra onze e no fim ganha a Alemanha já não é bem assim.

E neste particular das super carrinhas Premium passa-se exatamente a mesma coisa, pois sendo verdade que as carrinhas alemãs da Audi, BMW e Mercedes continuam a um nível elevadíssimo a verdade é que esta Volvo V90 D4 Momentum não lhe falta nada. Mesmo nada.

E para ficar já claro ao que vou. Prefiro as suecas!

Não é de agora que as carrinhas da Volvo são extremamente populares, completamente ligadas à segurança, pois o tempo passa e Volvo continua a ser sinónimo disso mesmo. Sempre tiveram e continuam a ter uma boa reputação de seguras, fiáveis, grandes familiares, super práticas, mas por um motivo ou por outro a Volvo sempre teve dificuldade de se imiscuir na luta com as marcas alemãs. E até começou primeiro, pois foi em 1953 que a Volvo apresentou a sua primeira break, a Duett. A Volvo tem grande tradição neste tipo de automóveis, mas parecia sempre faltar qualquer coisa. A verdade é que esta nova V90 elevou claramente o seu nível.

A estética é sempre discutível, mas não é possível ser indiferente à imponência duma Volvo V90. Esta carrinha é um orgulhoso produto da herança das carrinhas familiares Volvo. E o diabo está nos detalhes…

Tem linhas muito atrativas, mas o interior é realmente uma ode ao luxo e à qualidade. E isto com a carrinha imóvel, porque em movimento pudemos acrescentar um grande conforto, a que não será alheio o facto deste ser o segundo veículo saído de Gotemburgo que utiliza a inovadora plataforma modular da marca. Para mim, claramente uma alternativa muito séria aos alemães…

Assim de repente, destaco o estilo, o interior, e uma condução totalmente virada para o conforto e para a harmonia. Defeitos? Vou demorar um pouco mais a lá chegar, pois vou precisar de ser muito esquisito. Mesmo muito…

Para nos situarmos, esta Volvo V90 D4 Momentum tem um motor turbodiesel de 1969cc, uma potência máxima de 190 cv às 4250 rpm, faz um consumo combinado à volta dos 6.0 l/100 Km se formos comedidos no acelerador (a fábrica anuncia 4,5l/100 Km), acelera dos 0-100km/h, em 8,2s, para uma velocidade máxima de 225 km/h.

É bem pesada, sendo esse um dos sues defeitos, 2310 Kg. O nível de Equipamento e o de entrada, o Momentum. Estes são os factos, mas já lá vamos…

Esta carrinha surge com melhorias significativas, é uma clara evolução da sua antecessora, surge ainda mais versátil, e tecnologia está ainda mais intuitiva. Foram feitos melhoramentos na transmissão, nas suspensões, o sistema de infoentretenimento foi completamente revisto, mas é basicamente uma cópia do que já vimos no XC90, o que não é forçosamente mau, bem antes pelo contrário.

Quanto à qualidade geral construção, assim que entramos no habitáculo temos uma perceção de grande qualidade, os materiais são de topo e o ecrã tátil de nove polegadas fantástico.

Para darmos somente alguns exemplos de tecnologias suplementares, o IntelliSafe prevê colisões iminentes, avisa o condutor e finalmente atua, mitigando ou impedindo a colisão dependendo da circunstância.

O City Safety pode considerar-se o coração do IntelliSafe, e inclui tecnologias de segurança como o ‘aviso de saída de faixa’, ‘ângulo morto’, ‘aviso de colisão frontal e pedestre’, deteção de ciclista, entre outras. As renas são um problema nos países nórdicos, pelo que o sistema inclui também deteção de animais de grande porte. Por cá, podemos falar de cavalos, vai dar ao mesmo…

Por fim, a segunda geração do Pilot Assist –Volvo Pilot Assist II, é uma função de condução semiautónoma, que mantém uma velocidade e distância constantes dos carros que rodam por perto na mesma estrada, sendo que o veículo assiste o condutor com suaves acertos no volante para manter o carro centrado na via, mas ao contrário do que sucedia antes, já não precisa de um carro à frente para operar. Funciona até velocidades de 130km/h.

 


Mais:

Conforto / espaço / caixa de velocidades

 

 

Menos:

Consumo / peso

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

A assinatura visual da carrinha V90 já era conhecida do XC90, e a Volvo mostrou novamente que tem hoje em dia bem mais cuidado a este nível. A V90 é muito elegante, quer seja vista de frente, lado ou traseira, sendo que a linha de cintura é elevada q.b. Tem uma presença bastante imponente na estrada.

Interior

É no interior que destaco o que a Volvo fez. Aí, destaca-se o enorme ecrã tátil, montado na vertical, com grande resolução e ainda melhor resposta, de onde se comanda quase tudo, desde o ar condicionado, som, iluminação do habitáculo. Requer alguma prática, mas isso é igual com quase todos. Desta forma, não existem muitos mais botões exceção feita aos quatro piscas, desembaciador dos vidros e comando rápido do rádio.

O posto e a posição condução são ótimos, os bancos são do melhor que há, mais um pormenor que confirma que a Volvo teve uma grande preocupação com o conforto. Nada a dizer da visibilidade, os bancos têm os ajustes que queremos para nos colocar da forma que pretendemos, nota-se que tudo é feito em prol do conforto e bem estar dos ocupantes. A acessibilidade é boa e a habitabilidade melhor. Em termos ergonómicos a V90 é perfeita para acomodar quatro adultos, mas como é lógico num carro deste tamanho, há espaço mais do que suficiente para colocar três pessoas atrás, sendo que o lugar do meio pouco perde para os restantes, mas há diferenças, especialmente por causa do túnel central. À frente há espaço para dar e vender.

Quanto ao Porta-Bagagens, perde um pouco de espaço pois se deu primazia à estética, mas com 560 litros de espaço para bagagem, quantas vezes por ano vai precisar desse espaço todo? Um vez, duas? De resto, o bocal é bom, a altura também bem como a capacidade de colocar o piso completamente plano depois de rebater os bancos traseiros. Em termos de espaço é semelhante à BMW 5 Series Touring, mas fica aquém da Audi A6 Avant.

Equipamento

Em termos de Equipamento de Serie, a D4 Momentum tem Ar Condicionado automático CleanZone, Fecho centralizado com comando remoto, Tempered glass, side & rear windows, Painel de instrumentos digital, Inserções decorativas Iron Ore, Volante em couro, Tapetes, Kit de reparação de furos, Rails de tejadilho, Molduras das janelas em preto, Ponteira de escape dupla, visível, Espelhos retrovisores exteriores rebatíveis, Faróis de LED MID, Limitador de velocidade, Cruise Control Adaptativo, Pilot assist, Collision Mitigation Support, frente, Lane Keeping Aid, Sensores de ajuda ao estacionamento, atrás, Hill start Assist, Sensor de chuva, Airbags dianteiros, Airbag de joelhos no lugar do condutor, Airbag SIPS, Airbags de cortina, Bancos dianteiros com proteção, Whiplash, Desativação do airbag do passageiro, Isofix – bancos traseiros laterais, Emergency Brake Assist, EBA, Audio High Performance, Comandos audio no volante, 1 conexão USB, Bluetooth, Volvo On Call, Jantes em liga leve 17” e pneus 225/55R17.

No configurador pode ainda escurecer os vidros traseiros, colocar um kit estilo exterior, ponteiras de escape duplas integradas e difusor, depois tem vários Packs que convém explorar (MCOXA – Business Connect, 1 845 €; MCOXD – Business Connect Pro, 2 952 €; MCOXI – Family, 320 €; MCOXJ – Light, 1 193 €; MCOYF – Winter, 394 €; MCOYG – Winter Pro, 1 550 €; MCOZO – Versatility, 566 €; MCOZP – Versatility Pro, 947 €; MCOZQ – Climate Premium, 898 € e MCP1E – Xenium, 2 927 €.

Como equipamento opcional é só somar e só vamos referir os destaques: Ar condicionado automático de 4 zonas (738 €); Banco elétrico para passageiro; (523 €); 16 – Faróis de nevoeiro no spoiler dianteiro (308 €), Teto de vidro (1753 €); Banco elétrico para o condutor (861 €); Fecho de segurança elétrico das portas traseiras (111 €); Head up display (1353 €); Câmara 360 graus (1138 €); Alarme (566 €); Cortinas nos vidros laterais traseiros (271 €); Apoio lombar de 4 vias (68 €); Banco do passageiro com memória (98 €); Premium Sound audio by Bowers and Wilkins (3690 €); BLIS – Aviso de presença de viaturas no ângulo morto (615 €); Sensores de ajuda ao estacionamento, atrás e à frente (418 €); Bancos traseiros aquecidos (271 €); Câmara traseira (523 €); Park Assist Pilot (793 €); Suspensão Four-C (2030 €); Polestar Performance Software (1121 €).

Consumos

O Consumo desta V90 é bom para o tipo de automóvel que é, e se não exagerarmos no acelerador, conseguem-se consumos médios pouco acima dos 6l/100 Km, mas para que isso suceda é preciso muita preocupação com o consumo. Se não olharmos muito para isso, facilmente ficamos acima dos sete. As emissões de CO2 quedam-se pela 119 g/km. De qualquer das formas, a relação consumo/performance é boa.

Ao volante

Este motor de 2.0 turbodiesel, com 190 cv e 400 Nm de binário, é perfeitamente suficiente para atenuar os efeitos do peso desta carrinha, 2310 Kg, sendo por exemplo, semelhante à carrinha BMW 520d Touring. Se puxarmos pelo motor, o som ouve-se bem, dependendo depois de que viaja, se gosta ou não. Pessoalmente, adoro estes sons. É aproveitar enquanto os há…

A potência tem uma entrega linear e é suficiente para fazer chegar o carro dos 0-100 Km/h em 8.2s, e apesar de ser um carro muito mais indicados para grandes viagens e muito menos para o tráfego mais urbano, e a caixa automática de oito velocidades é muito suave e bem escalonada, não consigo mesmo encontrar defeitos, nem me parece que mesmo sendo uma caixa automática que penalize demais o consumo.

O comportamento da V90 D4 é, por exemplo, melhor que o do XC90, pois vamos bem mais perto do chão e o centro de gravidade faz diferença seja em que carro for.

A sensibilidade da direção não é demasiado leve, informa bem o condutor, e tudo neste automóvel se passa de forma clama e harmoniosa, sendo que há um ponto que os condutores devem ter em atenção é que esta harmonia sente-se mesmo a velocidades mais elevadas, e é fácil irmos bem para lá dos limites sem o percebermos, tão relaxados que vamos.

Talvez porque este motor D4 não tem o PowerPulse, sistema que acelera a entrada em funcionamento do turbo, como o D5 e isso nota-se um pouco, mas é preciso sermos muito esquisitos para que isso faça diferença.

O conforto dinâmico do carro é muito bom, sendo que esta suspensão está quase totalmente virada para o conforto ao invés da performance. Claramente, em termos dinâmicos, esta V90 é menos orientada para a performance do que por exemplo o BMW 520d ou talvez até mesmo a Audi A6 2.0 TDI, mas é perfeitamente possível uma condução mais ritmada, mesmo em estrada mais sinuosas. Precisamos de mais mão de obra no volante e pedais, sendo o peso o maior óbice. É sempre assim, menos controlo de rolamento de carroçaria, melhor conforto, não há milagres.

Claramente, é bem preferível guiar a V90 em ‘relax-mode’. Aí é imbatível.

O comportamento em curva é bom, a V90 é muito estável, e a estabilidade direcional em auto estrada um ‘must’.

Aparte da questão que referimos quanto à sonoridade do motor, mais por culpa do motor do que da insonorização, esta é perfeita em todas as restantes situações, isolando bem o exterior.

Quanto à segurança da condução, o Auto-Pilot funciona, mas é preciso que as marcações da estrada sejam boas, e por isso é importante que se mantenham sempre as mãos no volante. No pára arranca da cidade o sistema é muito bom, pois a V90 acelera e trava mantendo-se a direito, sendo que só temos de ter muita atenção nas curvas mais fechadas, convém mesmo sermos nós a fazê-las.

Nada a dizer dos travões, são adequados para o peso do conjunto sendo que é preciso termos perfeita consciência da velocidade a que vamos para que a força de travagem seja a ideal, pois como já disse, o carro é tão estável que por vezes não parece que vamos tão depressa.

A V90 tem diversos Modos de condução, que varia entre os modos Confort, Eco e Dynamic, a partir da consola central. O modo Confort otimiza a comodidade, enquanto o modo Eco calibra o sistema de transmissão e o sistema climático com o intuito de reduzir o consumo. O modo Dynamic está talhado para uma condução mais desportiva, com um motor, caixa de transmissão e direção de rápida resposta. No modo individual o condutor pode adotar o seu próprio modo de condução.

Concorrentes

Audi A6 Avant TDI 2.0

BMW 520d Touring

Mercedes-Benz Classe E 220d Station

Balanço final

É uma carrinha de luxo, o interior é espaçoso e o conforto muito bom. Sendo este o motor mais fraco da gama V90, isso também se reflete, logicamente, no preço, que não é muito diferente dos dos principais concorrentes Premiun, dependendo depois, muito, dos opcionais. Se viaja muitas vezes, é um automóvel destes que vai querer, até porque os custos de utilização são baixos, no contexto.

Quanto ao preço, a V90 fica num meio termo, quando comparada com os principais concorrentes, por exemplo com o Audi A6 2.0 TDI Advance Stronic, Mercedes CLA 220d e BMW 520d Touring Auto. É mais cara que a Audi e Mercedes e um pouco mais barata que a BMW.

Em termos de Versões Disponíveis, os valores do nível de equipamento Momentum, começam nos 55.299€, o R-Design começa nos 58.588€, Iscription, 60.187€ enquanto a Cross Country o custo base é 68.080€.

As Motorizações desta versão Momentum ensaiada, começam com a D4 190cv Man. 6 Velocidades, 55.299€, esta D4 190cv Geartronic 8 Vel. Já custa 58.121€, o D5 235cv Geartronic 8 Vel. Já se ‘atira’ para os 70.450€, o T6 de 310cv Geartronic 8 Vel, custa 73.246€ e finalmente o T8 390cv Geartronic 8 Vel custa 72.383€. Claro que estes valores são de tabela, cada um depois poderá negociar à sua maneira com a marca.

Ficha técnica

Motor D4

Arquitetura – 4 cilindros em linha

Cilindrada (cc) – 1969

Potência máxima (cv/rpm) – 190/4250

Binário máximo (nm/rpm) – 400/1750-2500

Caixa de Velocidades – Automática, Geartronic 8 velocidades

Combustível – Gasóleo

Performance e consumos 

Consumo combinado (l/100km) – 4,5

Consumo urbano (l/100km) – 5,2

Consumo extra-urbano(l/100km) – 4,1

Aceleração (0-100km/h) – 8,2

Vel. Máxima (km/h) – 225

Emissões Co2 (g/km) – 119

Dimensões e capacidades 

Peso (kg) – 2310

Depósito de combustível (l) – 55

Altura (mm) – 1475

Comprimento (mm) – 4936

Largura (mm) – 1879

Distância entre eixos (mm) – 2941

Volvo V90 D4 MOMENTUM

Características 

Nível de Equipamento – Momentum

Preço da versão ensaiada (Euros): 65335€
Preço da versão base (Euros): 53995€

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!