Peugeot 308 SW 1.5 BlueHDI – Ensaio Teste

By on 9 Maio, 2018

Peugeot 308 SW 1.5 BlueHDI GT Line 

Texto: Filipe Pinto Mesquita

Quando de menos se faz mais!

Antecipando a entrada em cena da normativa europeia antipoluição para 2020 (Euro 6.2), a Peugeot coloca-se em jogo com o novo motor 1.5 BlueHDI. O 308 SW aparece agora assim menos poluente e “guloso”, oferecendo ainda um débito superior de potência (com 130 cv) face ao seu antecessor 1.6 BlueHDI. Resta saber como convivem o conceito familiar e semi-desportivo da versão GT Line. Fomos descobrir…

Conheça todas a versões e motorizações AQUI.


Mais:

Motor energético e poupado/Caixa precisa/Boa qualidade geral

 

Menos:

Visibilidade do painel de instrumentos/Botão “Start” lento/Travão de mão elétrico “intermitente”

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

O visual da Peugeot 308 SW é agradável à vista, mas a versão GT Line concede-lhe um espírito desportivo que a torna mais “agressiva”, sem chegar a ferir suscetibilidades. Está “no ponto”, dir-se-ia, mas entre todas as carrinhas que recorrem à versão GT Line ou similar, que provoque o carácter desportivo, a 308 SW é das que leva o conceito mais longe, sem exageros.

Os frisos dos contornos das portas cromados, os vidros escurecidos atrás, as barras no tejadilho em alumínio, as óticas LED são um excelente cartão de visita, mas são as inscrições laterais dianteiras e na traseira “GT Line”, as desportivas jantes de 18 polegadas e as ponteiras traseiras retangulares cromadas que mostram a personalidade mais vincada desta 308 SW, que também brilha pela sua grelha dianteira “provocante”. As dimensões com um comprimento 4,585 m e 1,804 m de largura não são a referência na classe, mas estão longe de não cumprir o que se espera de uma carrinha familiar do segmento em questão

Interior

Versão GT Line também significa interiores a apelar ao desportivo, com bancos dianteiros e traseiros em pele, com pospontos vermelhos. Nesta versão, os luxos, a pagar à parte, começam nos assentos com memória e aquecidos e vão até às massagens (só nos bancos dianteiros), o que empresta à vida a bordo muita agradabilidade e dá um toque de classe, no campo do conforto, acrescentado pelo teto panorâmico filtrado por uma cortina de comando elétrico.

Mas, o que se ganha, por um lado, perde-se pelo outro, e o volante de dimensões reduzidas (mas com fundo plano, desportivo) e sobretudo com a coluna de direção “atrofiada” que não o deixa subir até à altura ideal para o condutor de estatura média (tapando a visibilidade da maior parte dos instrumentos do painel de bordo, devido ao aro superior do volante) é uma mancha difícil de disfarçar e que nada joga a favor do conforto para quem guia, até porque não ajuda a encontrar a posição ideal de condução. Sendo preciso esperar pela próxima geração do 308 para a correção deste erro técnico, vale mais concentrar nos aspetos positivos do interior, que têm no espaço revelado um bom trunfo. Fazendo jus à sua vertente familiar, este 308 SW oferece boas cotas de habitabilidade, tanto à frente, como atrás, ao nível dos ombros, pernas e joelhos, podendo ainda dar-se ao luxo de apresentar uma das melhores bagageiras da classe, com 610 litros (valor que sobe para 1660 litros com o rebatimento dos bancos traseiros, através de práticas patilhas lateral) e verdadeiramente funcional, uma vez que vem munida com calhas laterais. Sem acionamento elétrico, o portão traseiro revela-se, contudo, algo pesado, ainda que não seja, naturalmente, preciso umas sessões de ginásio para fechá-lo.

Com um design interior muito minimalista, o destaque na ação vai para o écran tátil de 9,7’’ (que inclui sistema de navegação) e onde estão concentradas muitas das funções multimédia que a carrinha tem para oferecer. Só é pena que botão “start” e o travão de mão elétrico, por vezes, não obedeçam de forma célere e muitos vezes à primeira tentativa, parecendo ter personalidade própria.

Equipamento

Num segmento, onde todos os argumentos de venda contam, o equipamento também se revela de suma importância para conquistar seguidores ou, neste caso, compradores. De série, o 308 SW traz argumentação convincente. Na segurança, os airbags laterais dianteiros e os de cortina são a sua máxima expressividade, mas há também que contar com o sistema de monotorização de pressão de pneus, faróis LED, sensores de chuva e luz, sensores de parque dianteiros e traseiros, camara de visão traseira 180⁰, sistema de navegação. Para disfrutar também poderá contar com o ar condicionado automático bizona e os rails na bagageira em alumínio. Nos lugares traseiros, há porta-copos embutidos no apoio de braços central e uma invulgar tomada de 220V, por cima de um dos pequenos espaços de arrumação disponíveis.

Equipamento Extra

Ao nível de extras, a versão GT Line apresenta diversas configurações possíveis. Individualmente, poderá usufruir do teto panorâmico em vidro com cortina de comando eléctrico (450 €), mas também das jantes em liga leve 18″ Diamant (385 €), Peugeot Connect Nav 3D + Leitor de CD (100 €), acesso e ligação mãos livres (400 €), bancos dianteiros aquecidos e com massagens (400 €) e rede divisória da bagageira (180 €). Mas, para além de poder fazer escolhas individualmente, a melhor solução talvez seja optar pelos packs à disposição que agregam equipamento de segurança e conforto.

Entre estes, destaque para Pack Side Security (assistência ativa ao estacionamento + sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro + sistema de vigilância de ângulo morto) (350 €), o Driver Sport Pack (sonoridade do motor amplificada e mais desportiva + pedal do acelerador e direção assistida mais desportiva + apresentação de informações complementares do painel de instrumentos, como potência, binário, pressão de sobrealimentação, acelerações lateral e longitudinal + alternância de cor dos painéis de instrumentos entre branco e vermelho + qualidade do áudio melhorada por amplificação digital) (350 €), o Pack fumadores (30 €), o Pack Safety (Alerta ativo de transposição involuntária de linha + sistema de alerta de fadiga do condutor + assistente automático de máximos + reconhecimento dos painéis de velocidade e preconização) (400 €), o Pack Safety Plus (Travagem de emergência automática + Alerta de risco de colisão) (650 €) e a junção do Pack Safety Plus com o Pack Drive Assist (que incluí Cruise Control Adaptativo com função Stop) (800 €).

Consumos

Ligeiramente mais comedido nos consumos que o seu antecessor de 1,6 litros de cilindrada, o motor 1.5 BlueHDI, que cumpre já as emissões obrigatórias para 2020, apresenta moderação na “gulodice” de combustível. Os 3,8 l/100 km anunciados são utópicos, mas 5,8 l/100 km são possíveis de alcançar desde que não se exagere na força do pedal direito.

Ao volante

O mundo automóvel está em mutação, mas a principal vocação de uma carrinha ainda se mantém. Por mais “pozinhos” desportivos que sobre ela caiam, ainda é o estatuto de “familiar” quem mais ordena e nesse capítulo, a 308 SW 1.5 BlueHDI passa todos os testes, proporcionando viagens em família agradáveis, sem grandes sobressaltos. Mas e quando os compromissos familiares exigem alguma rapidez sem perder compostura (leia-se, conforto)? Ora, aqui a carrinha da Peugeot também não perde pontos já que o motor 1.5 BlueHDI de 130 cv, com um binário de 300 Nm que despacha logo a partir das 1750 rpm também cumpre com o esperado, com muita suavidade no funcionamento e entrega, bem auxiliado que está por uma caixa de seis velocidades precisa, de fácil manuseamento e escalonamento correto. Mas para as suas animadas performances muito contribui também o som bem trabalhado das saídas de escape (algo chega mesmo a entusiasmar e é pouco vulgar num veículo com pretensões, antes de tudo, familiares), talvez até mais do que as marcas de aceleração e recuperações, que mantem praticamente inalterados face à carrinha equipada com a motorização descontinuada 1.6 BlueHDI, que agora, esta menos poluente e com melhores consumos rende.

O “feeling” de condução é sempre positivo, independentemente do ritmo imposto e a forma como a suspensão se relaciona com o asfalto é uma peça vital no puzzle do conforto. Só os pneus 225/40 R18 é que prejudicam a tranquilidade em pisos mais irregulares, mas compensam quando o ritmo fica mais endiabrado, ajudando a uma atitude mais desportiva e a melhorar a estabilidade, optimizada em parte, pela correta afinação do chassis.

Concorrentes

Fiat Tipo SW 1.6 Multijet JLL 16 com 120 cv a partir de 24.400 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Ford Focus 1.5 TDCi 120 Trend+ com 120 cv a partir de 26.261 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Honda Civic Tourer 1.6i DTEC Sport com 120 cv a partir de 30.010 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Hyundai i30 SW 1.6 CRDi Style com 136 cv a partir de 29.655 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Kia Ceed SW CRDI ISG GT Line com 136 cv a partir de 30.136 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

MINI Clubman One D com 116 cv a partir de 27.393 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Opel Astra Sports Tourer 1.6 CDTI Innovation com 136 cv a partir de 31.010 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Mégane Sport Tourer dCi 130 GT Line com 130 cv a partir de 32.230 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Toyota Auris Touring Sports 1.4 D Confort+ PK Tekno+ Pk Sport com 90 cv a partir de 28.712 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volkswagen Golf Variant 1.6 TDI 115 cv Trendline com 115 cv a partir de 30.653 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Balanço final

O Peugeot 308 SW 1.5 BlueHDI GT Line é uma excelente proposta dentro do segmento das carrinhas com vocação familiar e ar desportivo. A imagem moderna, o espaço interior, a moderação nos consumos e emissões e a atitude na estrada inclinam o pêndulo para o lado positivo, mas (há sempre um “mas”) o pouco simpático preço final de 33.700 € (que facilmente derrapa ainda mais com algum equipamento extra) pode ser um handicap.

Ficha técnica

Motor

Tipo: 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo

Cilindrada (cm3): 1499

Diâmetro x curso (mm): 75.0 x 88.3

Taxa de Compressão: –

Potência máxima (cv): 130/3750

Binário máximo (Nm/rpm): 300/1750

Transmissão, direção, suspensão e travões

Transmissão e direção: Dianteira, com caixa maual 6 velocidades; direção elétrica, assistida

Suspensão (fr/tr): Independente McPherson/Eixo de torção

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos

 Prestações e Consumos

Aceleração: 0-100 km/h (s): 10,6

Velocidade máxima (km/h): 198

Consumos urbano/extra-urb./misto (l/100 km): 4,2/3,3/3,8

Emissões de CO2 (g/km): 100

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4585/1804/1457

Distância entre eixos (mm): 2730

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1559/1553

Peso (kg): 1295

Capacidade da bagageira (l): 610 (1660 com segunda fila de bancos rebatida)

Depósito de combustível (l): 53

Pneus (fr/tr): 225/40 R18 / 225/40 R18

 

Preço da versão ensaiada (Euros): 37285€
Preço da versão base (Euros): 33700€

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!