Volkswagen Passat Variant 2.0 TDI DSG Elegance – Ensaio Teste

By on 27 Dezembro, 2019

Volkswagen Passat Variant 2.0 TDI DSG Elegance

Porque o estatuto também se renova

Referência entre as carrinhas do segmento D generalista, a Volkswagen Passat recebeu uma actualização naquela que é a sua oitava geração, centrada na imagem e componente tecnológica, a somar à introdução de um renovado 2.0 TDI, agora EVO, de 150 cv. Porque, embora com posicionamento um pouco à parte da concorrência, o estatuto que a Passat já exibe, também se renova.

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Habitabilidade; Bagageira; Motor/Caixa de velocidades

 

 

Menos:

Preço; Visibilidade traseira; Capacidade dos espaços de arrumação

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Motor
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Pontuação: 9/10

Carrinha de linhas há muito clássicas, a Volkswagen Passat Variant tem, ainda assim, vindo a suavizar (ligeiramente) algum do conservadorismo que muitas vezes lhe é apontado. Nomeadamente e no caso específico desta última actualização, realizada numa geração nascida em 2014, através da acentuação de uma imagem um pouco mais tecnológica e até levemente desportiva.

Assim e não deixando de manter sempre bem presente a ambição estatutária que o visual exterior nunca deixou de transmitir, por exemplo, através da generosa aplicação de frisos metalizados um pouco por toda a carroçaria, destaque para a introdução, com este restyling, de uma nova grelha, mais alongada, e a acentuar a largura da Passat, bem complementada com novas ópticas em LED. A mesma tecnologia, aliás, dos faróis de nevoeiro dianteiros e das luzes traseiras.

Igualmente parte do nível de equipamento mais elevado, Elegance, jantes em liga leve de 17″ com pneus 215/55, o mesmo como pneu sobressalente, com a “nossa” Passat a levar ainda mais além o encanto, graças ao opcional pacote R-Line Exterior. Mas que também implica um investimento extra de mais 2.123,08€…

Interior

Pontuação: 9/10

Ligeiramente retocada no exterior, a Volkswagen Passat Variant recebeu, com esta actualização, também alguns “updates” num interior do habitáculo. Na sua grande maioria, visando o acentuar da componente tecnológica, a qual acaba contribuindo igualmente para exaltar a já conhecida qualidade de construção e materiais, a rivalizar com muitas propostas premium… ainda que e a partir de agora, já sem relógio analógico, trocado por uma “simples” sigla “Passat”.

Assim e num ambiente em que a marca de Wolfsburgo procurou evoluir igualmente a insonorização e o atenuar das vibrações, sobressai ainda a nova geração do painel de instrumentos 100% digital, atraente também nos novos layouts, assim como a mais recente evolução do sistema de infoentretenimento, denominada MIB3 – com um ecrã generoso nas dimensões, intuitivo no funcionamento, e agora com mais funcionalidades… mas também a pecar na facilidade de utilização, fruto do desaparecimento de teclas de acesso directo às principais funcionalidades.

Instalados no lugar do condutor, o óptimo posicionamento e conforto proporcionados por um novo banco ErgoComfort de bons apoios e com todos os ajustes, ajudado igualmente pela novidade que é o volante R-Line, excelente na pega, com botões funcionais e amplos ajustes, tanto em altura, como em profundidade.

Também convincente se mostra a habitabilidade, com a Passat Variant a oferecer espaço suficiente para três adultos nos lugares de trás, e mesmo com um túnel de transmissão que, embora não muito intrusivo, afirma a sua presença.

Já a bagageira, com uma excelente capacidade inicial (650 litros), além de amplo, baixo e fácil baixo acesso, mercê também de uma chapeleira extensível que recolhe, em duas fases, com um só toque, pode ver aumentada a sua dimensão para os 1.780 litros, mediante o rebatimento 40:20:40 das costas dos bancos, com trancas no topo. Sendo que, a ajudar, surgem ainda as já conhecidas soluções de funcionalidade, à excepção de um bom alçapão por baixo do piso falso; culpa da presença do pneu sobressalente igual aos restantes!

Equipamento

Pontuação: 8/10

Envergando o nível de equipamento mais luxuoso, Elegance, a carrinha Volkswagen Passat Variant surge bastante completa. A começar, no domínio da Segurança, com a presença de elementos como o Front Assist com City Emergency Braking ou o sistema de detecção de fadiga no condutor, além do Programa Electrónico de Estabilidade, a englobar, inclusivamente, o estabilizador de reboque. A grande maioria, diga-se, proposta sob a forma de pack, a que a marca passou a dar o nome (pomposo) de IQ.Drive…

Já no aspecto do Conforto e dando igualmente destaque à componente tecnológica, assegurados estão o Cruise Control Adaptativo com limitador de velocidade e controlo de distância automático, Pacote Light and Sight (espelho interior anti-encandeamento + coming home e leaving home + sensor de chuva), sistema de navegação “Discover Media”, App Connect Wireless, sensor de chuva, sistema de ajuda ao parqueamento com sensores dianteiros e traseiros, sistema Lane Assist com Traffic Jam Assist (com caixa DSG inclui Emergency Assist), Start Stop com recuperação da energia de travagem e travão de parque elétrico com função Auto-Hold.

Desta forma, opcionais e pagos à parte, na “nossa” carrinha, as jantes de liga leve “Dartford” 8J X 18 com acabamento “Glam Silver” (559,99€), faróis Iq.Light – Led Matix (2.123,08€), tecto de abrir panorâmico (1.200,42€), pacote Ambiente Plus (520,91€), forro do tejadilho em preto (271,14€), perfis de condução (213,61€), sistema de navegação Discover Pro (1.954,00€) e sistema de protecção pró-activa de passageiros.

Consumos

Pontuação: 9/10

Mas se o desempenho do 2.0 TDI EVO é, sem dúvida, um bom argumento, os consumos, não ficam atrás! Pois, colocada à prova no dia-a-dia e com muita cidade pelo meio, a Volkswagen Passat Variant 2.0 TDI acabou revelando-se uma “boa amiga da carteira”, ao garantir médias nos consumos de não mais que 6,1 l/100 km!

E, isto, sublinhe-se, sem um recorrer frequentemente ao modo Eco, à partida o mais vocacionado para controlo dos consumos, mas contando, apenas e nesse capítulo específico, com o apoio de um Stop&Start interventivo, mas também rápido no arrancar…

Ao volante

Pontuação: 9/10

Aspiracionalmente estatutária na imagem, a Volkswagen Passat Variant agora renovada procura estender essa mesma ambição, ao desempenho dinâmico. O qual afirma as suas qualidades, desde logo, pela forma suave, estável, segura, como a carrinha alemã se entrega à condução.

Fácil de conduzir e controlar, seja em que situação for, a Passat Variant torna-se assim um veículo familiar com que, e no qual, qualquer chefe de família facilmente se sentirá bem. Convencendo tanto numa utilização do dia-a-dia, como naqueles momentos mais solenes, em que a imagem, a postura, a pose, também contam – pode não ser um premium declarado, mas lá que disfarça muito bem, não hajam dúvidas!…

Igualmente a ajudar a uma condução convincente… e familiar, uma direcção marcada não só pelo novo e óptimo volante, como também pelo feeling aveludado que transmite, acrescido de boa dose de precisão. A mesma conjugação que, de resto, todo o conjunto faz de afirmar, e em particular, quando o piso a isso ajuda.

Afinal, nunca ninguém disse que, à competência, seja em ambiente for – o mau piso pode/deve ficar de fora… -, não fica bem um pouco de conforto e brandura…

Concorrentes

Ford Mondeo SW 2.0 TDCi Titanium, 150cv, 9,4s 0-100 km/h, 210 km/h, 4,3 l/100 km, 132 g/km CO2, 44 852€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mazda 6 SW 2.2 SKYACTIV-D Evolve, 150cv, 9,3s 0-100 km/h, 210 km/h, 4,2 l/100 km, 110 g/km CO2, 38 457€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Opel Insignia Sports Tourer 2.0 Turbo D Dynamic, 170cv, 8,9s 0-100 km/h, 223 km/h, 5,4 l/100 km, 142 g/km CO2, 43 150€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Peugeot 508 SW 2.0 BlueHDI GT Line, 150cv, 9,1s 0-100 km/h, 210 km/h, 3,9 l/100 km, 110 g/km CO2, 45 250€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Talisman Sport Tourer 1.6 dCi EDC Executive, 160cv, 9,6s 0-100 km/h, 213 km/h, 4,4 l/100 km, 120 g/km CO2, 43 360€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Skoda Superb Break 2.0 TDI Ambition, 150cv, 8,9s 0-100 km/h, 218 km/h, 4,3 l/100 km, 115 g/km CO2, 37 629€

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Motor

Pontuação: 9/10

Com uma já extensa oferta em termos de motorizações a gasolina e a diesel, a maior alteração trazida por esta actualização, no capítulo dos motores, acabou centrada naquele que é um dos TDI mais procurados no nosso mercado: o já bem conhecido 2.0 TDI de 150 cv, também ele renovado e agora mais eficiente, mercê da adopção de um novo sistema de tratamento de gases de escape e duplo circuito de gestão térmica, novas válvulas e bomba de óleo, além de vários outros componentes mais modernos. Isto, além de um duplo depósito do purificador AdBlue…

Resultado de toda esta renovação, não somente o acrescento da designação EVO no nome, mas principalmente um funcionamento mais suave e discreto, além de uma maior e mais vigorosa resposta ao acelerador, ainda antes das 2.000 rpm. E que, a par da evolução linear até ao red-line, às 4.500 rpm, reforça as capacidades deste 2.0 TDI EVO como óptima opção para a carrinha alemã!

Igualmente a intervir, tanto no funcionamento do quatro cilindros, como da excelente caixa automática DSG de 7 velocidades – sem dúvida recomendável pela forma (quase) perfeita como gere as capacidades deste turbodiesel… -, o já conhecido sistema de modos de condução da marca alemã, com quatro opções – Normal, Eco, Sport e o configurável Individual. E que, em particular nos modos mais desportivos, acaba denotando um pouco mais de reactividade na resposta ao acelerador…

Balanço final

Pontuação: 9/10

Com um percurso de mais de 40 anos, aquela que continua sendo a referência entre as carrinhas generalistas do segmento D, a Volkswagen Passat quase parece imune ao passar dos anos. Tal é a forma como evolui na continuidade, sem revoluções ou cortes com o passado, e, a partir de agora, com um 2.0 TDI EVO de 150 cv, ainda melhor nos consumos e emissões. Dois aspectos que, aliás, também têm o seu peso nos esforços de renovação de um certo estatuto…

Ficha técnica

Motor

Tipo: quatro cilindros em linha, com injecção directa, turbocompressor de geometria variável e intercooler

Cilindrada (cm3): 1.968

Diâmetro x curso (mm): 81 x 95.5

Taxa compressão: 16 : 1

Potência máxima (cv/rpm): 150/3.000-4.200

Binário máximo (Nm/rpm): 360/1.600-2.750

Transmissão e direcção: Dianteira, com caixa automática de sete velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica

Suspensão (fr/tr): Tipo McPherson; Eixo multibraços

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos sólidos

Prestações e consumos 

Aceleração: 0-100 km/h (s): 9,1

Velocidade máxima (km/h): 210

Consumos Velocidade Extra-Alta/Alta/Média/Baixa/Combinado (l/100 km WLTP): 5,5/4,7/5,3/6,5/5,4

Emissões de CO2 (g/km WLTP): 140

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,773/1,832/1,516

Distância entre eixos (mm): 2,786

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1,586/1,570

Peso máximo (kg): 1.590

Capacidade da bagageira (l): 650/1.780

Depósito de combustível (l): 66

Pneus (fr/tr): 235/45 R18 / 235/45 R18

Preço da versão ensaiada (Euros): 58112€
Preço da versão base (Euros): 50554€