Nissan Qashqai 1.7 dCi 150 cv 4×2 – Ensaio Teste

By on 4 Setembro, 2019

Nissan Qashqai 1.7 dCi 150 cv 4×2 TEKNA

Texto: Filipe Pinto Mesquita

Diesel sem medo!

As motorizações Diesel estão a perder força, mas a Nissan, como muitas outras marcas, parecem apostadas em que não percam o fôlego. Com o novo 1.7 dCi 150 cv, o Qashqai tem um novo argumento para tentar manter a liderança do segmento, a que se juntam outros já bem conhecidos…

Conheça todas as versões e motorizações AQUI.


Mais:

Conforto/Habitabilidade/Equipamento

 

Menos:

Escalonamento demasiado longo da caixa/ecrã de infoentretenimento de apenas 7’’

Exterior
Interior
Equipamento
Consumos
Ao volante
Concorrentes
Balanço final
Ficha técnica

Exterior

Enquanto a Nissan trabalha no desenvolvimento da terceira geração do Qashqai (com data de lançamento prevista para 2020), a “segunda vida” do SUV mais vendido na Europa e em Portugal vai de “vento em popa”. Apesar das constantes tentativas de assalto à liderança do mais importante segmento de mercado automóvel da atualidade por parte da concorrência, o Qashqai continua a manter a sua boa forma, no que ao design diz respeito, “gerindo” de modo astuto a “frescura” e graciosidade das suas formas, que continuam a revelar um SUV moderno e adaptado às necessidades quotidianas. Para-choques dianteiro e traseiro redesenhados, grelha central com novo design e ótimas mais “rasgadas” foram os seus trunfos em 2017, aquando do restyling, e, pelos vistos, continuam a ser suficientes para que o Qashqai sem mantenha jovem.

Interior

No interior, o mais importante instrumento de vendas da Nissan, também revela uma postura sensata e equilibrada, sem recurso a manobras extravagantes na tentativa de impressionar a qualquer custo. São notórios ainda alguns plásticos mais duros nas zonas abaixo do tablier, mas a qualidade de construção está presente. Por outro lado, a posição de condução está mais centrada, revelando maior envolvimento para o condutor, enquanto os novos bancos ajudam ao encaixe confortável dos restantes passageiros. Nos lugares traseiros, o espaço é amplo, mas não referencial no segmento. Três adultos terão que “lutar” pelo seu espaço, mas dois podem viajar à “grande”, com espaço suficiente para os joelhos e braços. A versatilidade fica assegurada pelo rebatimento 60/40 ou na totalidade da segunda fila de bancos e a bagageira (com boa acessibilidade e 430 litros) não renega as suas aptidões familiares, apresentando-se com possibilidade de mais do que uma configuração, algo sempre bem-vindo e sendo também extensível até aos 1598 litros, desde que se abdiquem dos lugares traseiros.

Equipamento

No último restyling do Qashqai houve também um reforço dos equipamentos e da tecnologia a bordo. A versão ensaiada – Tekna – é das melhores equipadas (acima só a Tekna +) e, por isso, revela-se já com equipamento digno de um líder de segmento. Não lhe faltam “mimos”, quer falemos de segurança ou conforto, pelo que se tornaria exaustivo identificar toda a lista de equipamento. Em todo o caso, vale a pena referir que este Qashqai está já equipado com o “Safety Pack” (inclui Sistema Alerta Inteligente de Manutenção de Faixa, Identificador de sinais de trânsito, sistema de faróis inteligentes e Sistema Inteligente Anticolisão com deteção de peões), “Drive Assist Pack” (inclui Sistema de Alerta de Fadiga do Condutor, Sistema Inteligente de Ângulo Morto, Deteção de Objetos em Movimento, Assistência Inteligente ao Estacionamento com alerta de trânsito). Depois o “Cruise Control”, o limitador de velocidade e a câmara inteligente de visão 360⁰ também são muito úteis para viagens mais seguras e cómodas, tal como o sistema de controlo de chassis ativado pelo Controlo Inteligente de Trajetória e da Carroçaria. Em termos de visibilidade, é possível contar com Faróis LED diurnos exclusivos e Faróis Bi-LED com Sistema Adaptativo de iluminação dianteira e Faróis de nevoeiro em cromado, enquanto itens como o banco do condutor elétrico, o teto de abrir panorâmico, o ar condicionado Dual Zone, os estofos parcialmente em pele e os vidros traseiros escurecidos integram também a lista equipamento de série.

A conectividade está agora mais eficaz devido à operacionalização de uma evolução do sistema multimédia NissanConnect (que contempla Sistema de Navegação 3D, Serviço Traffic Premium da Tom Tom, atualização de mapas online, app de navegação “Door to Door”, etc) que se revela intuitiva na utilização, através de um ecrã tátil com diversos menus configuráveis. O sistema Apple® CarPlay ou Android® Auto, o Rádio leitor de CD com 6 altifalantes, as Portas USB e conector MP3 (Aux-in 3.5mm), o Bluetooth® com microfone e o Áudio streaming via Bluetooth completam o leque de ofertas para ligação ao mundo digital.

Consumos

Apesar de “julgados” pelo novo WLTP, ainda não conseguimos consumos reais equivalentes aos anunciados pela Nissan. Neste caso, a media do ensaio ficou-se pelos 7,2 litros, longe dos 5,8 declarados na ficha técnica, mas perfeitamente aceitáveis para tipo de motorização a gasolina da última geração escondida debaixo do capot.

Ao volante

Mesmo com os motores Diesel em franca desaceleração, as marcas da Aliança Renault/Nissan/Mitsubishi (associadas à Daimler) não perdem o foco neste tipo de motorização que, do ponto de vista, da usabilidade e economia mantém ainda créditos muito saudáveis. A prova está, precisamente, nesta versão 1.7 dCi (que substitui a anterior dCi 130), onde a entrega da potência de 150 cv feita de forma muito linear e a utilização dos 340 Nm de binário (mais 55 Nm que na versão que substitui) logo às 1750 rpm permitem uma condução fluída em praticamente todas as circunstâncias. Para essa agradabilidade de utilização também contribuiu uma direção com tato comunicativo e o correto desempenho do sistema de travagem, mas já não o escalonamento da caixa de 6 velocidades, que se revela demasiado longa (prejudicando o prazer de condução, ainda que otimize os consumos), penalizando a condução mais “atrevida”.

Se a tecnologia de Redução Catalítica Selectiva com AdBlue, que ajuda a reduzir as emissões NOx e que se apresenta como um trunfo neste motor de 1,7 litros Diesel, não é visível a olho nú, noutro capítulo, o bom compromisso entre o conforto e a firmeza das suspensões é real e sente-se no corpo. Não há lugar para diversos modos de condução, como noutros concorrentes, mas a verdade é que o acerto dinâmico conseguido pelos responsáveis da marca nipónica em nada ofusca o equilíbrio no comportamento, o que faz o Qashqai receber nota elevada no que toca ao comportamento em estrada. Curvar em segurança é, apesar do elevado centro de gravidade a que estamos sujeitos, uma tarefa fácil, muito por culpa dos sempre vigilantes dispositivos tecnológicos auxiliares da condução que zelam pela segurança de quem viaja a bordo.

Por tudo isto, e com a ajuda suplementar do espaço interior disponibilizado, viajar no Qashqai, seja em curtas ou longas distâncias, facilmente se transforma num ato de prazer.

Concorrentes

Citroën C5 Aircross 1.5 BlueHDI130 S&S CVM6 Live com 130 cv a partir de 32.602 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Hyundai Tucson 1.6 CRDi Executive DCT com 136 cv a partir de 36.946 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Jeep Compass 1.6 Multijet 120 cv 4×2 Limited com 120 cv a partir de 36.100 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

KIA Sportage 1.6 CRDi 6MT GT Line com 136 cv a partir de 41.996 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Peugeot 3008 1.5 BlueHDI 130 Euro6.2d Allure CVM6 com 130 cv a partir de 31.780€

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

SEAT Ateca 2.0 TDI CR Style com 150 cv a partir de 35.698 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Skoda Karoq 2.0 TDI Style com 150 cv a partir de 34.218 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volkswagen Tiguan 1.5 TDI 150 cv Confortline com 150 cv a partir de 42.137 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Volvo XC 40 D3 150 com 150 cv a partir de 40.298 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Audi Q3 35 2.0 TDI S Tronic com 150 cv a partir de 49.000 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Ford Kuga 2.0 TDCi 150 ST-Line com 150 cv a partir de 54.437 €

(Conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Mercedes-Benz GLA 200 d com 136 cv a partir de 53.250 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Opel Grandland X 1.5 CDTI Edition com 130 cv a partir de 32.090 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

 

Renault Kadjar Blue dCi 150 Black Edition com 150 cv a partir de 40.641 €

(Veja o ensaio AQUI e conheça todas as versões e motorizações AQUI)

Balanço final

Equipado com o novo motor 1.7 dCi de 150 cv, o Qashqai revela competência dinâmica, sem prejudicar a vocação familiar para o qual foi talhado e trunfo desde sempre usado no assalto à liderança do seu concorrido segmento. Usando uma tradicional força de expressão “ainda aí está para as curvas”.

Ficha técnica

Motor

Tipo: 4 cilindros em linha

Cilindrada (cm3): 1749

Diâmetro x curso (mm): 87 x 80

Taxa de Compressão: 15,1 : 1

Potência máxima (cv): 150/3500

Binário máximo (Nm/rpm): 340/1750

Transmissão, direção, suspensão e travões

Transmissão e direção: Dianteira, com caixa manual 6 velocidades; direção elétrica, assistida

Suspensão (fr/tr): Independente McPherson/Eixo de torção com molas

Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos servo assistidos

 Prestações e Consumos

Aceleração: 0-100 km/h (s): 9,5

Velocidade máxima (km/h): 192

Consumos urbano/extra-urb./misto (l/100 km): -/-/5,8

Emissões de CO2 (g/km) (WLTP): 151

Dimensões e pesos

Comprimento/Largura/Altura (mm): 4394/1806/1590

Distância entre eixos (mm): 2646

Largura das vias (fr/tr) (mm): 1565/1595

Peso (kg): 1450

Capacidade da bagageira (l): 430 – 1598 (2ª fila de bancos rebatida)

Depósito de combustível (l): 55

Pneus (fr/tr):  225/45 R19 /225/45 R19

Preço da versão base (Euros): 38950€